Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

PANDEMIA

Às vésperas de lockdown, comércio segue aberto em cidades do Entorno

Publicado em: 22/03/2021 14:32

Na noite desse domingo (21/3), prefeitos de Novo Gama, Valparaíso, Luziânia e Cidade Ocidental anunciaram adesão ao decreto de Goiás que restringiu atividades não essenciais
 (Foto: Correio Braziliense/Divulgação)
Na noite desse domingo (21/3), prefeitos de Novo Gama, Valparaíso, Luziânia e Cidade Ocidental anunciaram adesão ao decreto de Goiás que restringiu atividades não essenciais (Foto: Correio Braziliense/Divulgação)
É esperada para esta segunda-feira (22/3) a adesão oficial de municípios do Entorno ao decreto do estado de Goiás que restringiu as atividades econômicas em cidades em situação de calamidade por conta do agravamento da pandemia de coronavírus.

A medida é uma tentativa de conter a disseminação da Covid-19 no momento em que o cenário é de lotação de leitos para tratamento dos infectados e escassez de insumos, como oxigênio.

Enquanto a medida não entra em vigor, o comércio segue aberto no Novo Gama, Valparaíso, Luziânia e Cidade Ocidental. Durante o fim de semana, as portas foram fechadas, mas voltaram a abrir nesta segunda (22).

No Novo Gama, filas se formavam na calçada da principal avenida comercial da cidade, na entrada da casa lotérica. Em uma distribuidora de bebidas, ainda que fechada, os produtos eram vendidos pelas grades. No salão de beleza, as clientes eram atendidas a portas fechadas. Contudo, muitas lojas estavam fechadas e tinham os toldos abaixados.

Mais adiante, em Valparaíso, o movimento nas ruas era intenso: nas vias, alguns transeuntes não usavam máscaras, ou as utilizavam abaixo do queixo. Mesmo o comércio não essencial estava funcionando normalmente: lojas de confecção, óticas, de equipamentos elétricos, calçados e floriculturas. Uma longa fila de espera formou-se ao lado do cartório, onde não havia distanciamento entre as pessoas que aguardavam atendimento. Nas paradas de ônibus, grupos de pessoas esperavam pelo transporte perto umas das outras.

Em Luziânia, a situação era parecida: longas filas e comércio funcionando. Nos restaurantes, as refeições eram servidas normalmente e não havia distanciamento entre as mesas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 14/04
Vacinas da Johnson & Johnson sob investigação por risco de trombose
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 13/04
De 1 a 5: dicas de decoração para repaginar a casa de forma simples e sem gastar muito
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco