Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

STF

Gilmar Mendes cobra vacinação "urgente": "Vacina não tem ideologia"

Publicado em: 25/12/2020 15:29

 (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)
Foto: Carlos Moura/SCO/STF
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu que a vacina contra a Covid-19 chegue a todos os lugares do país o mais rapidamente possível. Em meio a uma guerra política em torno do imunizante, Gilmar escreveu nas redes sociais nesta sexta-feira (25/12): "Vacinas não possuem ideologia".
 
"Sua função científica é salvar vidas, como há tantos anos o fazem. Quase 190 mil já se foram pela Covid-19. A imunização é urgente e deve abarcar todo o país", afirmou o ministro.
 
 
Disputa política
Em uma transmissão ao vivo na véspera de Natal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atacou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que tem comandado as negociações pela compra de insumos e produção da vacina CoronaVac. Depois de o Instituto Butatan — que desenvolve o imunizante em parceria com a chinesa Sinovac — adiar a divulgação dos dados, Bolsonaro disse, sem mostrar provas, que eficácia da vacina estava "lá embaixo".
 
O presidente também criticou a ida de Doria para os Estados Unidos após endurecer as regras de flexibilização no estado. Após a repercussão negativa da viagem, o governador pediu desculpas e voltou a São Paulo.
 
Prioridade
Gilmar também afirmou ser preciso "confiar nos critérios de prioridade estabelecidos pelas autoridades sanitárias". Na última semana, o STF solicitou o recebimento de 7 mil doses de qualquer imunizante aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O pedido foi negado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
 
Vacinação no Brasil
O Brasil ainda não tem data para iniciar uma vacinação em massa. Enquanto vê vizinhos da América Latina, como México e Chile, começarem a cumprir seus planos de vacinação, o país deve esperar, segundo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, até o fim de janeiro de 2021, "na melhor hipótese". Desde o início da pandemia, foram registrados mais de 7,4 milhões de casos em todo o território nacional e quase 190 mil mortes pela doença.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Mundo tem recorde de mortes por Covid-19 em 24 horas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 27/01
AstraZeneca defende eficácia em idosos depois de questionamentos
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 26/01
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco