Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

DENÚNCIA

Ex-funcionária acusa empresário de abusar 230 mulheres

Publicado em: 28/12/2020 17:28 | Atualizado em: 28/12/2020 18:31

 (Foto: Reprodução/ Wikimedia Comms)
Foto: Reprodução/ Wikimedia Comms
O empresário Saul Klein foi acusado de abuso sexual por 14 mulheres, que relatam terem sido abusadas e aliciadas em festas e eventos na própria casa do milionário de 66 anos. Segundo a reportagem do site Uol, uma ex-funcionária de Klein, que trabalhou por 12 anos para o filho do fundador das Casas Bahia, conta que, em um ano, uma média de 230 mulheres passaram pela casa do herdeiro, em Alphaville, São Paulo.

As mulheres contam que eram forçadas a manter relações sexuais com Klein sem o uso de preservativos. Além disso, eram submetidas a controle de peso, procedimentos estéticos e recebiam uma remuneração de R mil a R mil por semana.

Em entrevista ao Fantástico, a ex-funcionária, que também foi uma das vítimas do empresário antes de trabalhar para ele durante 12 anos, estima que uma média de 230 mulheres, entre elas menores de idade, passaram pelas festas. Ela relatou que os abusos iam muito além de apenas abuso sexual, "O abuso físico era horrível, era uma situação péssima", declarou.

A ex-funcionária tinha ciência do que acontecia e conta como as festas eram organizadas. “Chegamos a contratar uma equipe de músicos que tocavam música clássica. Em um aniversário dele, arrumamos fantasias. E quando essa festa acabava, a certo ponto que também já estávamos um pouco alcoolizados, íamos para um outro local 'acústico', que não vazava som", revela.

A defesa de Klein alega que o milionário era um ‘sugar daddy’, termo utilizado quando homens mais velhos tem fetiche em sustentar mulheres mais novas em troca de afeto e/ou relações sexuais, e que todas as relações eram consensuais.

Em contrapartida, a defesa das vítimas nega o vínculo e diz que não houve consentimento.

Por decisão da Justiça, o empresário terá que passar por uma perícia psicológica após seu filho, Phillip Klein, mover uma ação alegando que Klein estaria gastando o patrimônio de forma desenfreada.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Mundo tem recorde de mortes por Covid-19 em 24 horas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 27/01
AstraZeneca defende eficácia em idosos depois de questionamentos
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 26/01
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco