Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

MOTIVO

"Erro humano", justifica Saúde sobre post que recomendava distanciamento

Publicado em: 19/11/2020 08:28 | Atualizado em: 19/11/2020 09:48

 (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Foto: Marcos Corrêa/PR
O Ministério da Saúde justificou o motivo de apagar a postagem em que defendia o isolamento social e reiterava que não existe tratamento específico contra a Covid-19. Em nota desta quarta-feira (18), a pasta disse que a mensagem foi excluída por “trazer informações equivocadas” e que o “erro humano” foi corrigido.

"O Ministério da Saúde esclarece que a resposta ao tweet publicado na manhã desta quarta-feira (18) foi apagada — e posteriormente corrigida — por trazer informações equivocadas. Um erro humano que já foi corrigido”, informou a pasta.

Após apagar o tweet, o perfil do órgão pediu desculpas à internauta e informou que havia informações equivocadas. “Diante da possibilidade do aumento do número de casos da Covid-19, até que se tenha uma vacina segura e testada, recomendamos o tratamento precoce. O médico deverá ser procurado ao sentir os primeiros sintomas”, respondeu a pasta após apagar o primeiro post.

Diferentemente da primeira versão, não houve qualquer menção ao isolamento, nem a indicação de que não há tratamento específico contra a Covid-19. Ao contrário do que recomendou na primeira resposta, o Ministério afirmou que “as pessoas que estão fora do grupo de risco e as crianças devem continuar suas atividades normais, com os cuidados recomendados pelos protocolos do ministério”.

A internauta havia comentado “azitromicina” na postagem, em referência a um dos medicamentos defendidos por Bolsonaro. A azitromicina é um antibiótico usado no tratamento de pneumonia bacteriana. O medicamento está incluso no protocolo do Ministério da Saúde que orienta tratamento de pacientes adultos com sintomas leves da doença com azitromicina e a cloroquina. Apesar da orientação da pasta, estudos não comprovam a eficácia dos medicamentos no tratamento da Covid-19.

Ainda em resposta à internauta, a pasta disse que “a utilização dos medicamentos prescritos pelo médico, com a concordância do paciente, deve ocorrer de imediato”.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 01/12
De 1 a 5: Novembro Azul chega ao fim, mas prevenção do câncer de próstata precisa ser permanente
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão #276 Propagação vegetativa em plantas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 30/11
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco