Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

RACISMO

Às vésperas do dia da Consciência Negra, homem negro é espancado até a morte por seguranças no Carrefour, no Rio Grande do Sul

Publicado em: 20/11/2020 08:28 | Atualizado em: 20/11/2020 09:16

 (Foto: Reprodução/Redes Sociais )
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na véspera do dia da Consciência Negra (19), um homem negro de 40 anos foi espancado até a morte por dois homens brancos em uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

De acordo com a brigada militar, o espancamento de João Alberto Ferreira de Santos começou após um desentendimento entre o homem e uma funcionária do supermercado. A vítima teria ameaçado bater na mulher, que chamou os seguranças. O segurança, de 24 anos, e um cliente e policial militar temporário, de 30, levaram o homem até o estacionamento e praticaram o crime.

Em vídeo que circula nas redes sociais, os dois homens disparam socos e chutes enquanto a funcionária filma o ato sem proferir nenhuma objeção. O PM foi levado para um presídio militar e o segurança para a polícia civil. A investigação colocou o crime como homicído qualificado.

Em nota, o Carrefour lamentou o caso e contou que inciou uma apuração interna, além de tomar providências para que os responsáveis sejam punidos legalmente. 

Veja a nota do Carrefour na íntegra:  

O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente. Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Atividades não essenciais proibidas em Pernambuco todo das 22h às 5h
Unicap inova em plena pandemia e transforma centros acadêmicos em escolas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 26/02
Ovelha perde 35kg de lã após cinco anos sem tosa na Austrália
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco