Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

PAZ

Maior favela urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte está há 100 dias sem assassinatos

Publicado em: 22/07/2020 20:19

 (Foto: Túlio Santos/EM/D.A.Press)
Foto: Túlio Santos/EM/D.A.Press

Cem dias sem homicídios. Essa é, segundo a Polícia Militar, uma marca histórica no Aglomerado da Serra, maior favela urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Até o momento, em 2020, apenas um homicídio foi registrado no local.

Segundo o comandante do 22º BPM, tenente-coronel Fábio Almeida, responsável pela área, muito da redução da criminalidade pode ser atribuída à restrição da circulação de pessoas por causa da pandemia do novo coronavírus. Mas, segundo ele, há também um trabalho da PM com a comunidade.

A marca é a melhor dos últimos 27 anos, desde que foi criado o 22º BPM.

Segundo o comandante, existe uma diferença entre o crime contra o patrimônio e o crime contra a vida: “No caso de roubos, furtos e assalto, mais especificamente nesse último, houve uma redução muito grande de pessoas circulando, o que diminuiu a oportunidade do ladrão”.

Mas o homicídio, segundo ele, tem outra motivação: “Os motivos para um assassinato são passionais, disputa de território ou rixas. Isso continua a existir. Nesse instante, foram muitas as saídas da cadeia, por conta da COVID-19. Muitas vezes, esse homem encontra um desafeto, e isso pode ser suficiente para que cheguem às vias de fato, à morte".

O tenente-coronel diz que, nesse caso, houve uma evolução do serviço preventivo, que aliado ao serviço de inteligência da PM possibilitou a redução da criminalidade. ”O último homicídio foi registrado em 12 de abril. De lá para cá, em suas ações periódicas, a PM conseguiu prender, em flagrante, 118 autores de delitos, além de 22 menores, 11 foragidos foram recapturados e 28 armas foram apreendidas, só no Aglomerado da Serra", diz.

Ele informa também que, no combate às drogas, foram apreendidos 5.984 pinos de cocaína, 8.718 barras, buchas e porções de maconha; além de oito veículos roubados terem sido recuperados.

A orientação, segundo o comandante, é aliada à Operação Êxodus, que é desencadeada nos finais de semana, reunindo guarnições do Gepar e do Tático Móvel, em atividades preventivas e de repressão qualificada.

“É fundamental o apoio das Unidades especializadas do Comando de Policiamento Especializado e a parceria com o Ministério Público e o Poder Judiciário, além da prisão sistemática dos principais infratores. Estas foram algumas das estratégias que culminaram na relevante marca histórica”, afirma Fábio Almeida.

TAGS: #paz | #bh | #favela |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Nova presidente da Caixa toma posse e anuncia primeiras medidas
Manhã na Clube: entrevista com o ex-ministro e pré-candidato ao senado, Gilson Machado
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Grupo Diario de Pernambuco