Diario de Pernambuco
Busca

Manutenção

Vai fugir do Carnaval? Cuide do carro antes

Antes de pegar a estrada é importante fazer um check up no possante para evitar surpressas no meio do caminho

Publicado em: 03/02/2024 06:00

Óleo, fluído de freio, água do para-brise e sistema de arrefecimento precisam ser checados (Arthur Carneiro / Divulgação)
Óleo, fluído de freio, água do para-brise e sistema de arrefecimento precisam ser checados (Arthur Carneiro / Divulgação)
O reinado de Momo é uma das festas mais aguardadas pelos brasileiros, talvez rivalizando, aqui no Nordeste, com o São João. Mas não é todo mundo que cai na folia, há uma parcela significativa da população que não faz questão de sair atrás do bloco. E é pra essas pessoas que vai o alerta, indicando os cuidados a serem adotadas.
 
Antes de tudo, segundo especialistas, é importante verificar a situação dos pneus, começando pelo seu estado de desgate. “Todo pneu tem uma marca de segurança conhecida com TWI. É uma linha em alto relevo transversal aos sulcos do pneu. Quando o desgaste chega a essa marca é hora de trocar o pneu e não quando o pneu fica “careca”, explica Matheus Carvalho, consultor do Centro Automotivo Ferreira Costa.
 
Pneus possui uma marca de segurança, chamada TWI, que indica a hora da troca (Arthur Carneiro / Divulgação)
Pneus possui uma marca de segurança, chamada TWI, que indica a hora da troca (Arthur Carneiro / Divulgação)

Além do estado dos pneus, é importante verificar o alinhamento, balanceamento das rodas e calibragem. “Cada modelo tem uma pressão ideal para os pneus, não há uma calibragem padrão como se pensava antigamente. A calibragem de um Fiat Mobi, por exemplo, é diferente da pressão utilizada no  Jeep Compass. E sempre que calibrar os pneus é importante calibrar também o estepe, para evitar o risco de ele estar vazio quando o condutor precisar”, detalha Macio Soares, coordenador de Assistência Técnica da concessionária Jeep Italiana.
 
A palheta do limpador de para-brisa é outro item comumente negligenciado. “O tempo e o sol costumam ressecar a  borracha da palheta e, em geral, o motorista só percebe o desgate quando aciona o limpador. Já pensou se isso acontece na estrada?”, indaga Matheus Carvalho.
 
Além das palhetas, outro item esquecido é a água do limpador do para-brisa e, na estrada, é comum o vidro ficar com sujeira vindas de resíduos do asfalto, insetos, poeira e outros detritos. “O nível dos líquidos do veículo também precisa estar em ordem, e aí estamos falando desde a água do limpador ao fluído do sistema de arrefecimento e óleo do motor. O tempo ou limite de quilometragem para a troca precisam ser respeitados”, reforça Macio Soares.
 
Entram ainda na lista do check up pré-viagem as luzes do farol, piscas e lanternas; triângulo, macaco e chave de roda; tampas e mangueiras dos reservatórios e tudo mais que envolva segurança. “A lista de itens a serem verificados poderia ser bem menor se o brasileiro fosse adepto da revisão preventiva. Hoje, com a tecnologia, o próprio carro diz o que está errado, basta conectar o scanner.
 
Infelizmente, só se faz a manutenção corretiva, o que termina elevando bastante o custo.”, destaca Soares.

Aos 50 anos, Golf aparece renovado 
Carro mais vendido da Volks recebeu atualização visual (Volkswagen / Divulgação)
Carro mais vendido da Volks recebeu atualização visual (Volkswagen / Divulgação)
Prestes a completar 50 anos, o Golf está de  nova no mercado europeu. A Volkswagen apresentou, na última semana, a atualização do visual do modelo mais vendido da marca. Entre os destaques estão nova grade dianteira, com logo iluminado e novos designs para as lanternas dianteiras e traseiras.
 
Sprinter Truck ganha baú reciclado 
Baú desenvolvido pela Nolly Implementos utiliza placas de PET (Mercedes-Benz / Divulgação)
Baú desenvolvido pela Nolly Implementos utiliza placas de PET (Mercedes-Benz / Divulgação)
 
A Mercedez-Benz incorporou à sua frota um Sprinter Truck com baú reciclado a partir de garrafas PET. Desenvolvido pela Nolly Implementos Rodoviários com paineis CoreSkin, o baú reduz em 300 kg o peso do modelo em relação aos baús convencionais, o que se lhe dá em maior capacidade de carga. Vendido pela Nolly e enviado para todo o país, o implenento custa de R$ 49,9 mil a R$ 58,5 mil.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL