Diario de Pernambuco
Busca

Crimes contra jovens

Professor investigado por suspeita de importunação sexual de aluna de 14 anos é demitido de escola particular

Caso aconteceu em Boa Viagem, no Recife, e está sendo apurado pela Delegacia de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA)

Publicado em: 23/05/2024 10:08 | Atualizado em: 23/05/2024 16:06

DPCA apura importunação sexual em escola  (Foto: Marlon Diego/Arquivo DP)
DPCA apura importunação sexual em escola (Foto: Marlon Diego/Arquivo DP)
O professor investigado por importunação sexual de uma aluna de 14 anos, em uma escola particular da Zona Sul do Recife, foi desligado da instituição de ensino. 

Procurada pelo Diario de Pernambuco, a equipe de assessores do Colégio Boa Viagem afirmou que o docente foi demitido, esta semana, após ser afastado das suas atividades.

Todo o caso é alvo de investigação da Polícia Civil. A denúncia  foi feita mpela família da aluna, que procurou a Delegacia de Polícia da Criança e Adolescente (DPCA). 
 
Relatos

Os parentes da jovem, que não teve o nome divulgado, apontam que o professor de ciências teria praticado a importunação sexual. Tudo foi descoberto a partir de conversas mantidas entre a garota e as amigas, por meio de  um grupo de WhatsApp.
 
Nesses diálogos, os pais descobriram que o docente chamou a menina de "gata" e que até teria "tentado beijá-la na boca", de acordo com relatos feitos pelas próprias amigas da jovem. 

Os pais da jovem fizeram o alerta por temer que esse docente, que atua em uma escola da rede privada em Boa Viagem, na Zona Sul, repita esse comportamento. 

O pai, que preferiu não ter o nome divulgado, disse que ficou preocupado ao perceber a mudança de comportamento da filha, que passou a ficar mais isolada em casa.
 
Ele também cobrou providências e exigiu a saída do professor da instituição de ensino. 
 
Além disso, alerta os outros pais para não achar que esse tipo de conduta pode ser considerado "normal". 

O que diz a polícia 
 
Por meio de nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou que abriu um inquérito para apurar esse caso. 

"O caso foi registrado no dia 20 e está sob o comando do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA). As diligências foram iniciadas e seguirão até a completa elucidação", afirmou a nota.

O que diz o colégio 

Por nota, o  Colégio CBV disse que, diante do relato das alunas, em 16 e maio, afastou o professor de suas atividades, no dia seguinte. Afirmou, ainda, que "realizou o seu desligamento definitivo do quadro de funcionários da escola'. 
 
Além disso, o  colégio afirmou que  "está à disposição das autoridades e da comunidade escolar para novos esclarecimentos".
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL