Diario de Pernambuco
Busca

PETROLÍFERA

Nova presidente da Petrobras, Magda Chambriard reforça compromisso com acionistas

"Vamos colocar a Petrobras à disposição dos interesses de seus acionistas, dentro da lógica empresarial", afirmou a presidente em entrevista na sede da estatal no Rio de Janeiro

Publicado em: 27/05/2024 20:21

Chambriard disse que manterá o objetivo de 'abrasileirar' o preço dos combustíveis (foto: Tania Rego/Agência Brasil)
Chambriard disse que manterá o objetivo de 'abrasileirar' o preço dos combustíveis (foto: Tania Rego/Agência Brasil)

A nova presidente da Petrobras, Magda Chambriard, concedeu a primeira entrevista coletiva à frente do cargo, no início da noite desta segunda-feira (27). O encontro com jornalistas ocorreu na sede da empresa, no Rio de Janeiro, logo após o fechamento do mercado. Em tom de conciliação com os acionistas, a chefe da estatal defendeu o diálogo para a distribuição de dividendos e o respeito à lógica empresarial.

 

“Dando lucro, sendo tempestiva, atendendo os interesses tanto dos acionistas públicos quanto privados, nós vamos fazer (o pagamento de dividendos). A palavra chave é conversa. Teremos que conversar muito e entender muito as demandas de cada um. Vamos colocar a Petrobras à disposição dos interesses de seus acionistas, dentro da lógica empresarial”, disse Chambriard.

 

Segundo a presidente, a empresa deve ser rentável, mas atender aos interesses dos acionistas minoritários e majoritários. Durante a entrevista, ela citou diversas vezes a palavra “lucro” e garantiu que, nesta nova gestão, priorizará o fechamento das contas no azul. Ela também ironizou os investidores que criticaram a escolha dela: “Quando eu fui indicada, as ações caíram. Pensei: ‘gente, é hora de comprar’”, satirizou.

 

Sobre a política de preços definida logo no início do governo Lula, que substituiu a Paridade de Preços de Importação (PPI), utilizada na gestão anterior, Chambriard disse que manterá o objetivo de ‘abrasileirar’ os combustíveis, e afirmou ser “indesejável” ter uma instabilidade nos preços.

 

Ainda durante a coletiva, a nova presidente da Petrobras defendeu a exploração de petróleo na região da margem equatorial brasileira e disse que o Ministério do Meio Ambiente, da ministra Marina Silva, precisa ser “mais esclarecido sobre a necessidade de perfuração de alguns poços”.

 

“Não podemos estar fora da tecnologia e vamos investir na diversidade possível de fontes de energia”, reforçou a presidente. "Vamos ter que conversar com o MMA e demonstrar que a Petrobras oferta em termos de cuidado mais do que a lei demanda", completou.

 

 

Confira as informações no Correio Braziliense

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL