Diario de Pernambuco
Busca

ESPANHA

Governo espanhol diz que vídeo do chanceler de Israel é execrável

O Ministério das Relações Exteriores israelense ordenou que o consulado espanhol em Jerusalém encerre os seus serviços aos palestinos a partir de 01 de junho

Publicado em: 27/05/2024 21:09 | Atualizado em: 28/05/2024 11:40

Ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel Albares (foto: AFP)
Ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel Albares (foto: AFP)

Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel Albares qualificou como escandaloso e execrável uma montagem em vídeo divulgado pelo chanceler de Israel, Israel Katz, com imagens do ataque de 07 de outubro com duas pessoas a dançar flamenco. O vídeo é acompanhado ainda por uma mensagem, onde se lê "Hamas: Gracias España", aludindo à ideia de que o reconhecimento do Estado da Palestina por parte de Espanha beneficia o grupo.

 

 

 

 

"Todo o planeta sabe, incluindo o meu colega israelita que nós condenamos o Hamas e as suas ações", afirmou Albares, que reiterou que o reconhecimento do Estado da Palestina é legítimo, do mesmo modo que o povo israelita tem direito a um Estado, e que está em linha não só com a solução dos dois Estados, como também com as resoluções da Organização das Nações Unidas para esse objetivo.

 

O ministro espanhol, além disso, acrescentou, que o governo do seu país ainda irá avaliar as alegações de Katz, mas sem detalhar se haverá ações diplomáticas deresposta.

 

Já o primeiro-ministro da Autoridade Palestina, Mohammad Mustafa, defendeu que o reconhecimento do Estado da Palestina é a única maneira de assegurar que a solução dos dois Estados é viável. "Há países que estão hesitantes, não é por não quererem que a Palestina seja um Estado, mas por acharem que vai ser o fim do processo de paz. O reconhecimento é a decisão certa, faz parte do processo de paz", disse Mustafa.

 

Em contrapartida, o Ministério das Relações Exteriores Relações Exteriores israelense ordenou também hoje que o consulado espanhol em Jerusalém encerre os seus serviços aos palestinos a partir de 01 de junho. "Hoje implementei medidas punitivas preliminares contra o consulado espanhol em Jerusalém, após o reconhecimento pelo Governo de Espanha de um Estado palestino. Não toleramos ataques à soberania e à segurança de Israel. Qualquer pessoa que ofereça um prêmio ao Hamas e tente estabelecer um Estado terrorista palestino, não estará em contacto com os palestinos", afirmou Katz.

 

Enquanto isso, Josep Borrell, chefe da diplomacia da União Europeia (UE), deu as boas-vindas no domingo a Mustafa, ao chegar em Bruxelas, para discussões internacionais sobre o fortalecimento da Autoridade Palestina. As conversações se concentraram no futuro de Gaza. “É necessária uma Autoridade Palestina forte para trazer a paz ao Oriente Médio”, disse Borrell, antes da reunião.

 

Na semana passada, Espanha, Irlanda e Noruega anunciaram a sua decisão de reconhecer o Estado da Palestina a partir de 28 de maio. Albares justificou a decisão do seu governo de reconhecer o Estado da Palestina ao explicar que se trata de fazer justiça ao povo palestino, mas também de ser a melhor garantia de segurança para Israel.

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL