Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

SOLIDARIEDADE

Saiba como ajudar a ONG ARA, responsável por cuidar das Búfalas de Brotas

Publicado em: 17/01/2022 21:13

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Conscientização e luta pelos direitos dos animais definem o propósito da ONG Amor e Respeito Animal (ARA). Fundada em 2011, a instituição fica localizada no município de Dois Córregos, interior do Estado de São Paulo, e abriga animais de grande porte e silvestres. O trabalho realizado pela ONG ARA ficou conhecido nacionalmente depois da sua ação de
resgate no mês de novembro, quando a Polícia Ambiental de Brotas, município paulista, recebeu uma denúncia e confirmou que 667 vacas, sendo 335 adultas e 332 filhotes, da espécie bubalus (búfalo-asiático) e cavalos estavam abandonados, sem alimento e água, além de 22 ossadas de búfalos encontradas na fazenda Água Sumida.
 
O presidente da ONG ARA, Alex Parente descreve o início da atuação da organização no atendimento às Búfalas de Brotas. “No momento, a ONG ARA está no resgate das Búfalas de Brotas. Nós fizemos o depósito judicial desses animais, esse está sendo considerado um dos maiores resgates de animais do mundo. Então, conseguimos graças à união de todos, muitas outras ONGs ajudando, os voluntários. Nós estamos conseguindo recuperar em torno de mil búfalas, que foram abandonadas para morrer e muitas morreram de fome e sede. Agora, estamos atuando nesse caso.”
 
Alex Parente explica que os cuidados da instituição no caso das búfalas teve início com a libertação dos animais, depois com a alimentação dos animais, já que foram encontrados sem alimento, além da assistência veterinária. “Nós temos um Hospital de Campanha montado na fazenda, dando toda assistência veterinária necessária e uma alimentação adequada seguindo toda orientação dos médicos veterinários responsáveis.”
 
De acordo com o presidente da ONG, as búfalas ainda estão se recuperando e outras permanecerão com restrições pelo tempo que passaram sem alimento. “Elas estão todas em recuperação, não posso falar que tenho animal recuperado, a nossa previsão é que leve em torno de um ano e meio a dois para que eles estejam recuperados. Porém, o laudo da USP e da Unesp apontou que alguns animais têm que receber atenção veterinária pelo resto da vida, pois eles perderam o poder da absorção dos nutrientes dos alimentos, por conta da privação de alimento, por um período tão longo. Mesmo eles comendo, não significa que eles estão se recuperando.”
 
A ONG Amor e Respeito Animal ficou responsável em média por mil búfalos, 50 cavalos e três cachorros da fazenda Água Sumida. Segundo Alex Parente, foram encontrados na fazenda mais de 150 búfalos mortos. Durante a intervenção da ONG, após a instalação do Hospital de Campanha, cerca de nove animais vieram a óbito. “O que mais morreu nesse período que estavam privados, foram as mães gestantes, as mães que estavam amamentando. Começaram o nascimento de novos filhotes agora, semana passada, nós tivemos dois nascimentos, e não há preocupação desses animais que vão nascer agora. Nós estamos tentando fazer com que essa fazenda seja destinada ao município de Brotas e fazer um santuário para essas búfalas, onde a ONG ficará responsável pela manutenção dos animais.”    
 
No dia 11 de novembro do ano passado, o dono da fazenda, Luiz Augusto Pinheiro de Souza foi preso pela Polícia Civil de Brotas, em decorrência do abandono dos animais, sendo solto depois de pagar R$ 10 mil em fiança. Em 21 de dezembro, o segurança da propriedade, Rinaldo Ferrarezi foi detido, o fazendeiro Luiz Augusto também teve mandado decretado para ser preso, como não foi localizado, é tido como foragido.
 
Alex Parente conta que já faz dois meses que a ONG está na fazenda e com o passar do tempo, as doações diminuíram bastante. Então, a instituição sempre está à procura de parcerias. Além do início da reforma da pastagem, do plantio da fazenda para em breve, também possa produzir parte da alimentação necessária, até lá as doações são necessárias para fornecer alimentação aos animais. Ele reforça que todo trabalho como o apoio veterinário, alimentar e a reforma do local só são possíveis devido às doações. “Tudo que nós estamos fazendo na fazenda, tanto na questão da assistência veterinária, alimentação, melhorando a estrutura onde estão os animais, construindo cerca, reformando o curral, tudo está sendo feito através de doações, que estão sendo recebidas de todo o Brasil.
 
Como apoiar
Ainda sobre a relevância do ato de doar, o presidente da ONG ARA afirma que qualquer ajuda faz a diferença. “Toda ajuda é muito bem-vinda. Nós gastamos cerca de R$ 4 mil por dia apenas em alimentação e temos oferecido diariamente 10 toneladas de alimentos. Então, toda ajuda é muito bem-vinda e pode ser feita pela Caixa Econômica Federal, banco 104, agência: 4205, conta corrente: 839-7, ou via Pix pela chave CNPJ: 14.732.153/0001-38.
 
Quem tiver interesse em fazer parte do voluntariado da ONG ARA pode entrar em contato pelo e-mail: faleconosco@bufalasdebrotas.org.br. Os requisitos solicitados para exercer a função, é está vacinado contra Covid-19 e não apresentar nenhum sintoma de gripe, fora isso, qualquer pessoa, de qualquer formação, pode ser voluntária a partir de 6 horas por dia, durante o tempo que quiser. A ONG oferece alimentação no local e caso a pessoa não seja do Estado de São Paulo, ela pode ficar na área de acampamento que oferece assistência necessária ao voluntário.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Brasil começa preparação para amistosos
Bombeiros encontram corpos de casal soterrado em Olinda
Manhã na Clube: entrevistas com Mendonça Filho e dr. Roberto Galvão Filho, oftalmologista
Ataque a tiros em escola nos EUA deixa 21 mortos
Grupo Diario de Pernambuco