Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

PANDEMIA

Ministro da Saúde se reuniu com defensores da aplicação retal de ozônio para tratar Covid-19

Publicado em: 05/08/2020 17:16

 (Foto: Dep. Federal Giovanni Chierini/Reprodução)
Foto: Dep. Federal Giovanni Chierini/Reprodução
O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello se reuniu, na última segunda-feira (3), com defensores da aplicação de ozônio no tratamento do novo coronavírus. A terapia “viralizou” no início desta semana, após o prefeito de Itajaí, em Santa Catarina, defender a aplicação do gás pelo ânus dos infectados pela virose.

O encontro com Pazuello teve as participações da médica Maria Emília Serra, presidente da Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (SOBOM), de um representante da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, e de profissionais de hospitais de Brasília e da cidade de Parobé, no Rio Grande do Sul. A comitiva foi composta, também, pelo deputado federal Giovanni Cherini (PL-RS).

“Aplicação tranquilíssima”

O prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni (MDB), é médico e ferrenho defensor da utilização de ozônio no combate à Covid-19.

“Além da citromicina, além da cânfora, nós também vamos oferecer o ozônio. É uma aplicação simples, rápida, de dois ou três minutinhos por dia, provavelmente via retal, tranquilíssima, rapidíssima, em um cateter fininho, e isso dá um resultado excelente”, disse o prefeito, em vídeo publicado nas redes sociais.
Morastoni já defendeu, também, o uso da cloroquina e da ivermectina, que é um medicamento antiparasitário, para o combate da Covid-19. A prefeitura sugeriu ainda a homeopatia como tratamento da doença, mas nenhuma dessas alternativas é indicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) ou por especialistas da saúde. No fim de julho, o Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE-SC) solicitou à prefeitura de Itajaí explicações sobre a distribuição em massa de ivermectina à população da cidade.Continua depois da publicidade


Em 2018, o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou resolução autorizando a ozonioterapia de forma experimental, com protocolos aprovados por Comitê de Ética em Pesquisa. O tratamento ainda não teve sua eficácia cientificamente comprovada. 

Segundo o deputado Cherini, algumas casas de saúde gaúchas, como o Hospital Vila Nova, em Porto Alegre, aderiram ao tratamento com ozônio.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista o candidato à prefeitura do Recife Carlos de Andrade Lima (PSL)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #164 Atrópodos: a importância da quitina
Pernambuco investe R$ 47,2 milhões na agricultura familiar
Rhaldney Santos entrevista o ortopedista Leonardo Silveira
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco