Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

FILME

Ator de "Pantera Negra 2" diz que é estranho filmar sem Chadwick Boseman

Publicado em: 12/05/2022 11:59

Chadwick Boseman morreu de câncer em 2020  (VALERIE MACON / AFP)
Chadwick Boseman morreu de câncer em 2020 (VALERIE MACON / AFP)
A poucos meses da estreia de Pantera negra: Wakanda forever, marcada para 11 de novembro de 2022, os fãs e os atores do longa ainda sentem a perda do memorável ator que deu vida ao Pantera Negra nos cinemas, Chadwick Boseman. O ator morreu em 2020, vítima de um câncer colorretal.

Em entrevista ao Collider, o ator Martin Freeman, que dá vida ao agente Everett Ross, falou sobre a experiência dolorosa de não ter Boseman no set de filmagens. "Por um lado, você está fazendo o filme que você está lá para fazer, e há dezenas e dezenas de pessoas no set, unidas neste esforço para fazer o filme", declarou o ator em entrevista ao Collider (via The Wrap). "Mas também não há dúvidas de que, no fundo, há uma grande lacuna agora, e você sentiu isso."

O ator ainda pontuou que confia muito em Ryan Coogler, o diretor da sequência, para dar vida a outros elementos introduzidos no filme de 2018: "Eu pensei, 'Ok, bem, talvez não haja outro [Pantera Negra]', mas ainda há outras histórias para contar dentro desse mundo e outros grandes personagens."

Além de Martin Freeman, a sequência do longa-metragem contará com os retornos de Angela Bassett como Ramonda, Letitia Wright como Shuri, Lupita Nyong'o como Nakia, Winston Duke como M’Baku.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Cada vez mais brasileiros procuram a medicina tradicional chinesa
Manhã na Clube: entrevistas com Bruno Rodrigues e Débora Almeida
Grupo Diario de Pernambuco