Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

HISTÓRIA

Secult-PE organiza live sobre Pernambuco na vanguarda da Independência do Brasil

Publicado em: 04/10/2021 11:43

A live abre as comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil (Foto: Acervos pessoais - Jan Ribeiro/Secult-PE)
A live abre as comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil (Foto: Acervos pessoais - Jan Ribeiro/Secult-PE)
Nesta terça (5), a Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE) dá início às comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil com a realização do webprograma Cultura em Rede em seu canal no Youtube. A live Pernambuco na vanguarda da Independência do Brasil: Junta Governativa de Goiana será transmitida às 19h. Os convidados para este debate são os professores de História, Júlia Ribeiro, que faz parte do projeto História ao Ar Livre, e George Cabral, presidente do Instituto Histórico de Olinda (IHO) e membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP).
 
"Pernambuco foi essencial para a Independência do Brasil.  Desde a Revolução de 1817, a capitania de Pernambuco, que era a mais rica do país, já demonstrava sua capacidade revolucionária. Quase um ano antes de ser declarada a Independência do Brasil do Reino de Portugal, Pernambuco se tornaria a primeira província independente com a criação da Junta Governativa de Goiana e a assinatura da Convenção de Beberibe.  O movimento é considerado o prelúdio da Independência do Brasil. A rendição das tropas portuguesas foi assinada em 5 de outubro, exatamente há 200 anos do dia em que a live irá ao ar”, diz o secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, que será o mediador da conversa.
 
A Revolução Pernambucana foi o único movimento que saiu do âmbito conspiratório durante o período da dominação portuguesa e alcançou de fato a tomada de poder. A repressão foi violenta, e Portugal conseguiu mitigar o movimento. Apenas alguns anos depois, em agosto de 1821, começou um novo movimento armado contra o governo do capitão general Luís do Rego Barreto (nomeado por Dom João VI para reprimir a Revolução de 1817). 
 
O general foi nomeado governador da província logo depois da derrota do movimento revolucionário, em julho de 1817, tendo ficado no poder até 1821, quando foi formada a Junta Governativa Pernambucana, ou Junta de Goiana, que foi responsável pela queda do então governador e também pela expulsão dos exércitos portugueses do território pernambucano, através de sua rendição com a assinatura da Convenção de Beberibe. Como resultado, Pernambuco se tornou a primeira província brasileira a se separar do Reino Português. 
 
"Pernambuco sempre teve um protagonismo e um pioneirismo quando a gente fala na questão da Independência. 1817 deixou isso bem claro, mas o projeto de 1817 era  um projeto local, não era uma ideia de uma Independência do Brasil. O pioneirismo da Independência de 1821, alguns meses antes do grito do Ipiranga e da oficialização da Independência no Rio de Janeiro, teve um papel muito importante. Dom Pedro I ter a adesão de Pernambuco no projeto de Independência era essencial para que outras províncias, distantes do Rio de Janeiro, também aderissem à Independência proposta pelo Rio de Janeiro”, explica Júlia.
 
SERVIÇO:
Live Pernambuco na vanguarda da Independência do Brasil
Quando: Nesta terça (05), às 19h
Onde: No canal da Secult-PE
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: Gilson Machado, Ministro do Turismo, dr. Érico Higino e o advogado Ivo Machado
Entre túmulos e livros: coveiro se prepara para lançar livro
Cenário de destruição apos tiroteios em Beirute
Manhã na Clube: entrevistas com Simão Teixeira, presidente do Recife Convention & Visitors Bureau
Grupo Diario de Pernambuco