Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

RECONHECIMENTO

Instituto Ricardo Brennand passa a integrar a Coleção Museus Brasileiros

Publicado em: 23/03/2021 12:05 | Atualizado em: 23/03/2021 12:10

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação


O equipamento cultural pernambucano Instituto Ricardo Brennand passa a integrar a Coleção Museus Brasileiros, produzida pelo Banco Safra. A insituição destaca, desde 1982, museus brasileiros com publicações sobre espaços de difusão artista e já contemplou o Museu de Arte de São Paulo, Fundação Iberê Camargo, Museu Oscar Niemeyer, Museu do Futebol e Museu de Arte Sacra de São Paulo. Devido a pandemia, o catálogo retratando as diversificadas e curiosas coleções do InstitutoRB foi lançado recentemente de forma virtual e está disponível no site do Instituto.

"A escolha do Instituto para compor a Coleção Museus Brasileiros muito nos sensibiliza. Pela importância de suas publicações que vem documentando e difundindo a riqueza dos acervos culturais de nosso país e pelo ano que isso aconteceu em 2020, em que o mundo se fez igual e reflexivo”, lembra Lourdes Brennand, que integra o conselho entre os irmãos à frente do operativo do centro de artes fundado pelo pai Ricardo Brennand, vítima da Covid-19.

Lourdes lembra que o pai era um homem da indústria, comprometido com sua terra e seu povo e que entendeu que só o crescimento da região aproximaria nosso Estado de um Brasil igualitário. E que para tal não mediu esforços. "Diversificou atividades. Ocupou lacunas na indústria local. Gerou empregos de forma continuada. Com a incansável expectativa de mudar a realidade do Nordestino. Mas foi um pequeno canivete que ganhou do seu tio Ricardo - que dá nome ao instituto, que ainda adolescente, despertou para o colecionismo que terminou na criação do Instituto que hoje conhecemos e que encanta gente do mundo inteiro que aqui chega", conta.


Para ela, o catálogo na verdade é um registro do que se tornou Ricardo Brennand com a sua paixão: um curador de museu incansável. Não somente montou o Museu de Armas Brancas, o mais completo de um colecionador particular em todo o mundo, como também trouxe para o Recife a mais completa coleção do pintor Frans Post, que tem sua história marcada pela passagem por Pernambuco dos tempos de Maurício de Nassau. As telas do pintor ficam permanentemente expostas na pinacoteca. O espaço recebe ainda as coleções Pintores Brasileiros, Oitocentos Brasileiros e Arte Sacra.

A nova criação da série Coleções Museus Brasileiros foi produzida pelo Safra com recursos da Lei n° 8.313, de 1991, a Lei Rouanet, e reúne textos aprofundados sobre o homem Ricardo Brennand, sua obra e vasta documentação e um excelente material fotográfico dos acervos em seus mais diversos detalhes. Revela, ainda, logo na abertura, o mapa do visitante com croquis da divisão da “arte por toda parte”: Biblioteca, Sala do Conselho, Pinacoteca, Galeria, Museu de Armas e outras dependências que facilitam o acesso do visitante ao local.

O Instituto Ricardo Brennand abre de terça-feira a domingo, sempre, das 13h às 17h, com a última entrada às 16h30. O ingresso pode ser adquirido pelo site institucional e nas bilheterias do local nos valores de R$ 30,00 (inteira) / R$ 15,00 (meia) de terça a sexta, e de R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia) nos sábados e domingos. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco