Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

CINEMA

Quarta temporada de The Crown estreia neste domingo com Lady Di

Por: AFP

Publicado em: 13/11/2020 13:43 | Atualizado em: 13/11/2020 12:42

 (Foto: Des Willie/Netflix)
Foto: Des Willie/Netflix

Vinte e três anos depois de sua trágica morte, a princesa Diana reaparece na família real britânica dentro do elenco da quarta temporada da série "The Crown", que estreia no domingo (15) no Netflix. Uma atriz desconhecida de 24 anos, Emma Corrin, foi escolhida para interpretar a jovem Diana, imitando sua voz suave e o olhar tímido. Interpretar aquela que é considerada a "princesa do povo" representa "muita pressão", admitiu Corrin ao jornal Sunday Times.

Diana aparece como uma adolescente ingênua e depois como uma noiva solitária, que tenta superar o tédio patinando pelos corredores do Palácio de Buckingham. Depois de casada, ela é vítima de angústia e bulimia. Diana Spencer acabara de completar 20 anos quando, em 1981, se casou com o príncipe Charles, que tinha mais de 30, herdeiro do trono pressionado a encontrar uma esposa. O filho mais velho da rainha Elizabeth II aceitou se casar com Diana, mas continuou apaixonado por sua namorada da juventude, Camilla.

Retratado em temporadas anteriores como um jovem sensível e incompreendido, Charles vira um marido frio e infiel, que critica a "fragilidade" da jovem esposa. "Charles foi provavelmente um pouco insensível, às vezes, mas não acredito que tenha sido arrogante ou indiferente, acredito que realmente tentou fazer o casamento funcionar", declarou à AFP Penny Junor, autora da biografia "Charles, vítima ou vilão".



Muito afetada por sua infância
Diana era uma jovem "muito afetada" por sua infância: "A mãe saiu de casa quando ela tinha seis anos, ela cresceu sem sentir que era amada ou desejada", explica Junor. A ruptura do relacionamento, com um pano de fundo de infidelidades, e as entrevistas concedidas pela princesa provocaram um escândalo que ainda hoje provoca comoção. O novo diretor geral da BBC acaba de anunciar uma investigação independente sobre as práticas de um jornalista da emissora pública de rádio e televisão, Martin Bashir, que em 1995 obteve uma famosa entrevista com Diana.

De acordo com o irmão da princesa, o conde Charles Spencer, Bashir apresentou documentos falsos para convencer Diana a participar na entrevista em que falou: "Éramos três no casamento, é muita gente". Na opinião de Junor, a princesa "queria provocar danos a Charles, mas também era uma mulher muito frágil". "Acredito que muitas pessoas a exploraram para seus próprios objetivos, incluindo a BBC", afirma.

O trio amoroso é uma das tramas da quarta temporada de "The Crown", ambientada no final dos anos 1970 e na década de 1980, um período conturbado para o Reino Unido, quando o IRA assassinou em 1979 Louis Mountbatten, tio-avô e mentor do príncipe Charles, e o país entrou na guerra das Malvinas com a Argentina em 1982. Um episódio é dedicado à quase inacreditável invasão do Palácio de Buckingham por Michael Fagan, que tinha 33 anos e estava frustrado com o desemprego e a separação de sua esposa.

Ele conseguiu entrar no quarto de Elizabeh II e acordou a monarca, que não perdeu sua famosa compostura. A rainha volta a ser interpretada por Olivia Colman, vencedora do Oscar de melhor atriz por "A Favorita' em 2019. Na quinta temporada, Colman será substituída por Imelda Staunton, conhecida pelas jovens gerações como a cruel professora Dolores Umbridge da saga Harry Potter, que interpretará uma rainha já idosa.

A americana Gillian Anderson, famosa por "Arquivo X", é outro destaque da quarta temporada no papel da inflexível Margaret Thatcher, a primeira mulher a ocupar a chefia de Governo na Grã-Bretanha. Sucesso de público e crítica, "The Crown", já venceu diversos prêmios, incluindo três Globos de Ouro e 10 Emmy. Setenta e três milhões de assinantes em todo o mundo assistiram ao menos uma parte da série, afirmou em janeiro Ted Sarandos, diretor de conteúdo do Netflix.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 01/12
De 1 a 5: Novembro Azul chega ao fim, mas prevenção do câncer de próstata precisa ser permanente
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão #276 Propagação vegetativa em plantas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 30/11
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco