Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

festividade

Ano Novo Chinês será celebrado no Recife com dança, acrobacia e artes marciais

Publicado em: 15/01/2020 13:42

Espetáculo da cultura oriental está na programação do Janeiro de Grandes Espetáculos. (Foto: Diana Li/Divulgação)
Espetáculo da cultura oriental está na programação do Janeiro de Grandes Espetáculos. (Foto: Diana Li/Divulgação)
A transformação, o movimento e a vida representados pela cor vermelha que cobrem os corpos e colorem as ruas das cidades da China durante o Ano Novo Chinês serão exibidos dentro da programação do Janeiro de Grandes Espetáculos, na próxima quarta, dia 22 de janeiro. Elementos da festividade oriental que celebra a chegada de um novo ano durante cerca de duas semanas serão apresent ados no festival através de uma parceria entre o Consulado Geralda China no Recife com a Prefeitura. No palco do Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, às 20h, um elenco com 25 artistas chineses, composto por monges guerreiros do Templo Shaolin, dançarinos e acrobatas da Companhia Zhengzhou realizam performance de dança, acrobacia e artes marciais.

Antes, membros do Consulado recebem políticos econvidados no foyer do teatro. Esta é a quarta edição do evento no Recife, que teve início em 2016, dois anos após o Consulado firmar endereço na capital. Mais duas cidades brasileiras - Foz do Iguaçu e Curitiba, no Paraná - também recebem o espetáculo, nos dias 25 e 26 deste mês, respectivamente. “É bacana ter um evento como o Ano Novo Chinês dentro do Janeiro de Grandes Espetáculos. Uma apresentação de um outro país ressalta a importância da troca de culturas, principalmente entre continentes tão diferentes. Receber esta festa enriquece tanto a cultura pernambucana quanto a cultura chinesa”, pontua o assessor de gabinete da PCR, Guido Bianchi, um dos auxiliares na organização do evento.

Como o Natal e o Réveillon no Brasil, a festa reúne familiares e ref lete sobre planos, seguindo rituais e tradições. A cada ano, as celebrações se expandem para mais países. Em 2019, por exemplo, foram realizadas em mais de 500 cidades de 140 países. A atividade faz parte de uma iniciativa proposta há dez anos pelo Ministério da Cultura e Turismo da China de promoção da cultura chinesa, valorizando o intercâmbio cultural. “Celebrar a nossa festa, compartilhar anossa cultura fora do nosso país é uma alegria para nós”, pontua André Zhuang, vice-cônsul da China no Brasil, que mora no Recife há três anos.

A performance conta com 25 artistas chineses. (Foto: Divulgação)
A performance conta com 25 artistas chineses. (Foto: Divulgação)

“O Ano Novo Chinês é como um carnaval para os brasileiros. É a festa mais importante para os cidadãos chineses que moram dentro e fora do seu país. Há também uma semelhança com o Natal no Brasil porque, na véspera do nosso Ano Novo, as pessoas que moram longe vão para casa para comungar com a família e dar boas-vindas ao novo ano com comidas típicas”, afirma o vice-cônsul. Na ocasião, é comum as crianças serem presenteadas pelos pais com um envelope vermelho com alguma quantia em dinheiro. “Não importa a quantia que é oferecida, o ato de entregar representa generosidade, esperança eum desejo de boa sorte”, ressalta.

Zhuang conta que, durante a festividade, as pessoas penduram lanternas vermelhas nas portas de suas casas. Ele explica também que os chineses relacionam cada novo ano a um dos animais que teriam atendido, nos primórdios, ao chamado de Buda para uma reunião. Apenas 12 teriam se apresentado e, em agradecimento, Buda os transformou nos signos da astrologia chinesa. De forma cíclica, de acordo com a ordem que em quese apresentaram, um dos animais simboliza o ano. Dessa forma, o Javali, que guiou 2019, deixa o posto para o Rato assumir.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Resumo da semana: acidente em Boa Viagem, aulas liberadas e reinauguração do Geraldão
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #101 Actina e Miosina
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco