Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

NO TWITTER

'Pode deixar que eu me resolvo com Deus', diz Porchat sobre críticas ao especial de Natal

Por: AE

Publicado em: 12/12/2019 14:15 | Atualizado em: 12/12/2019 14:34

Os atores Gregório Duvivier, que interpreta Jesus, e Fábio Porchat, no papel de Orlando, o melhor amigo de Cristo no especial  (Reprodução/Netflix )
Os atores Gregório Duvivier, que interpreta Jesus, e Fábio Porchat, no papel de Orlando, o melhor amigo de Cristo no especial (Reprodução/Netflix )
O ator e apresentador Fábio Porchat fez uma publicação no Twitter nesta quarta-feira (11) no qual falou sobre as críticas que a produção Especial de Natal Porta dos Fundos 2019: A Primeira Tentação de Cristo tem recebido. Um abaixo assinado online pedindo a retirada do especial da Netflix possui quase um milhão de assinaturas.

A produção tem sido criticada pela forma como retrata Jesus, interpretado por Gregório Duvivier, que estaria em um relacionamento com outro homem. No especial, o personagem é surpreendido por uma festa, em que é revelado que ele é filho de Deus e foi adotado por José e Maria.

Em resposta às críticas e ao abaixo assinado pela retirada do filme, Porchat defendeu que as pessoas deveriam focar em outros problemas do país. "Gente, pode deixar que eu me resolvo com Deus, tá de boas, não precisa se preocupar não. Agora pode voltar a se indignar com a desigualdade que destrói nosso país. Mas tem que se indignar com o mesmo fervor, tá?", disse.
Respondendo a alguns internautas no próprio post, o ator chegou a ressaltar que o Porta dos Fundos já ironizou outras religiões, como o islamismo e o candomblé. O grupo humorístico ganhou o Emmy Internacional de 2019 pelo seu especial de Natal de 2018, que também apresenta Jesus, mas é focado na Santa Ceia.

Em meio a pedidos por parte de políticos e líderes religiosos para que as pessoas cancelem suas assinaturas da Netflix, a reportagem entrou em contato com a empresa, que disse que "valoriza e aprova a liberdade criativa dos artistas com quem trabalha, e reconhece também que nem todas as pessoas vão gostar desse conteúdo. Daí a liberdade de escolha oferecida pela empresa, em seu cardápio variado de opções, que inclui, por exemplo, novelas bíblicas".
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Órfãos da pandemia: um retrato trágico da contaminação pelo novo coronavírus
Escolas particulares se antecipam e já organizam retorno das atividades mesmo sem data para retomada
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
É preciso tocar a vida e se safar deste problema, diz Bolsonaro sobre pandemia
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco