US$ 93,5 milhões No primeiro fim de semana, 'Coringa' bate recorde de bilheteria nos EUA

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 07/10/2019 16:04 Atualizado em:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Em meio a polêmicas sobre violência e segurança, o recém-lançado Coringa, da Warner Bros., bateu recorde: é o filme mais assistido em outubro nos Estados Unidos. Os US$ 93,5 milhões arrecados em bilheteria no último fim de semana representaram a conquista.

O filme superou Venom, da Sony. A obra, que até então detinha o recorde, havia alcançado a marca de US$ 80 milhões no mesmo período do ano passado.
 
Polêmicas
 
Com direção de Todd Phillips e com Joaquin Phoenix no papel principal, Coringa gerou, mesmo antes da estreia, polêmicas por temores de que a história sobre o inimigo do Batman pudesse inspirar a violência. Contudo, as preocupações não impediram que os espectadores acompanhassem o lançamento do longa, um dos mais aguardados do ano. 

Em algumas cidades norte-americanas, medidas de segurança adicionais chegaram a ser adotadas. Isso porque, em 2012, em Aurora, no Colorado, em uma exibição de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge houve um ataque em massa. Doze pessoas morreram e 70 ficaram feridas.

Os parentes das vítimas cobraram que a Warner Bros. usasse o poder de influência para lutar contra a facilidade de acesso a armamentos no país. “Queremos deixar claro que apoiamos o direito à liberdade de expressão. Mas, como qualquer pessoa que tenha assistido a um filme sobre quadrinhos pode dizer, com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades. É por isso que estamos pedindo à Warner Bros. que use seu poder, influência e sua plataforma para trabalhar ao nosso lado para dificultar o acesso às armas de fogo”, pediu o comunicado. A empresa se pronunciou: “A Warner Bros. acredita que uma das funções da narrativa de histórias é estimular conversas difíceis sobre questões complexas. Não se enganem: nem o personagem Coringa, nem o filme apoiam qualquer tipo de violência no mundo real”. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.