Teatro Peça infantojuvenil sobre repressão é cancelada de surpresa no Recife; artistas apontam censura

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 09/09/2019 15:59 Atualizado em: 09/09/2019 21:40

Foto: Rafael Telles/Divulgação
Foto: Rafael Telles/Divulgação

A Caixa Cultural, localizada no Bairro do Recife, divulgou que iria receber uma temporada com oito apresentações do espetáculo infantojuvenil Abrazo, realizado pelo grupo de teatro Clowns de Shakespeare (RN). Na programação, a noite de estreia no último sábado (7) contaria com duas apresentações. Logo após a primeira sessão, no entanto, o grupo foi informado que as demais apresentações haviam sido canceladas.

Livremente inspirado em O Livro dos Abraços, do uruguaio Eduardo Galeano, com roteiro dramatúrgico de César Ferrario e direção de Marco França, a obra convida os espectadores à jornada de um menino que vive em um país onde não é permitido que as pessoas se abraçarem ou demonstrarem qualquer afeto uns com os outros.

Através de nota enviada para a reportagem, a instituição informou que houve um descumprimento contratual. "O contrato com o Clowns de Shakespeare foi rescindido, conforme comunicado ao Grupo nesta data. Os valores estão sendo restituídos diretamente na bilheteria, desde sábado (7), mediante apresentação do ingresso".

"Antes de tudo muito obrigado pela força e carinho nessa situação tão triste. Daremos mais detalhes em breve, seguindo a orientação dos nossos advogados, quando teremos um parecer final por parte deles", informou o Clowns de Shakespeare, em nota no Facebook. "Por enquanto, não temos o que alegar com clareza. Pedimos calma e que nos aguardem com novos esclarecimentos para então nos movimentar juntos! Mais uma vez obrigado por toda essa mobilização".

O diretor Marco França se posicionou com maior afinco em sua conta de Instagram, afirmando que o episódio se trata de uma "censura". "Uma censura travestida com argumentos jurídicos. Vemos um momento de barbárie no país, onde a verba pública para pesquisa e educação são cortadas, livros são censurados, artistas estão sendo perseguidos e tendo suas obras censuradas. Não nos calarão", escreveu.

SOBRE A PEÇA
Abrazo faz parte da Trilogia Latino Americana dos Clowns, que conta ainda com os espetáculos Nuestra Senhora de las Nuvens e Dois Amores y um Bicho. A produção é a única na trilogia destinada ao público infantil e foi a segunda a ser criada. No espetáculo, o diretor Marco França montou a narrativa sem fala escrita e que traz para o universo da criança temas como guerras e proibições.

Na peça, o protagonista vive em um estado em que um General determina que "não pode atender o celular, não pode ingerir bebidas e alimentos, não pode levantar...". A lista de exceções se estende até os dois itens finais e mais importantes: "Não pode falar! Não pode abraçar!". Com o espaço e suas regras bem delineados a "brincadeira" tem o seu início. Nela, os personagens ganham a cena e deflagram as suas histórias: um rapaz, uma florista, um soldado, um índio, uma avó, um general e um menino, que por ter o olhar ainda virgem no entendimento da realidade consegue mudar o fluxo da história aos caprichos da sua imaginação.

No elenco os atores Camille Carvalho, Dudu Galvão e Paula Queiroz, se revezam entre os vários personagens da fábula.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.