CIRCO Festim Periferia Pensante na Escola Pernambucana de Circo

Publicado em: 30/09/2019 08:01 Atualizado em: 30/09/2019 10:10

Festim Periferia Pensante acontece no dia 5 de setembro, das 19h às 23h, na sede da Escola, Macaxeira. Divulgação
Festim Periferia Pensante acontece no dia 5 de setembro, das 19h às 23h, na sede da Escola, Macaxeira. Divulgação
A arte milenar do circo aliada a um amplo universo de manifestações artísticas: dança, teatro, poesia, música, literatura e artesanato. Assim será a programação do Festim Periferia Pensante que acontece no dia 5 de outubro, das 19h às 23h, na Escola Pernambucana de Circo (EPC), bairro da Macaxeira, com a presença da Trupe Circus e de vários outros convidados. Dentre as atrações, Cia 2 em Cena, Circus Drag Show, Bartiras, DJ Rasta Flávia e VJ Pedro Luna. A entrada é gratuita e a contribuição é livre, com rodada de chapéu. O evento acontece justamente quando há o retorno das atividades da EPC à sua sede, após uma pausa para reforma realizada com o apoio do projeto Criança Esperança.

A programação  traz atrações como projeções, beatbox, performances diversas, feirinha de artesanato, barraca de distribuição de livros e apresentação de espetáculo com a temática do empoderamento feminino, dentre outras atrações. Das modalidades circenses, o público poderá assistir a números de contorção, palhaços, malabarismo, equilíbrio e pirofagia.

O Festim Periferia Pensante reflete o apoio da EPC a questões relativas ao respeito à diversidade, às múltiplas tribos e ao empoderamento feminino. Em novembro de 2018, por exemplo, a Escola montou o espetáculo Flores Fortes que trazia números de circo, dança e teatro feitos por mulheres para mulheres.

Sobre a reforma e a EPC – a Escola Pernambucana de Circo contou com o apoio do Criança Esperança, projeto do qual a instituição faz parte, para trazer acessibilidade aos banheiros a pessoas com mobilidade restrita, além de atualizar a pintura das dependências internas e da fachada. A EPC surgiu no ano de 1996 com a missão de promover a inclusão de crianças, adolescentes e jovens das classes populares por meio das artes, especificamente o circo, fortalecendo a identidade cultural, o vínculo social e os valores da cidadania. A Escola existe há 23 anos e possui um trabalho consolidado de atendimento a mais de 100 crianças, adolescentes e jovens.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.