Cinema Cinema São Luiz tem a maior média de público de Bacurau no Brasil

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/09/2019 16:43 Atualizado em:

Sessão de pré-estreia de Bacurau no São Luiz, em 24 de agosto. Foto: Juarez Ventura/Divulgação
Sessão de pré-estreia de Bacurau no São Luiz, em 24 de agosto. Foto: Juarez Ventura/Divulgação

O longa-metragem pernambucano Bacurau, co-escrito e co-dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, foi visto por mais de 130 mil espectadores até a última segunda-feira (2), após estrear oficialmente na quinta-feira (29). De acordo com a assessoria de imprensa do filme, a sala do Cinema São Luiz, no Centro do Recife, é a que tem a maior média de público em todo o Brasil. O raking segue com São Paulo (Salas do grupo Espaço Itau), Rio de Janeiro (Espaço Itau e Estação NET, em Botafogo), Brasília (Cine Brasília), Belo Horizonte (Belas Artes) e Natal (Cinemark Natal).

O total de público acumulado inclui os 22542 bilhetes vendidos nas pré-estreias realizadas em mais de 40 cidades antes do lançamento, de acordo com a assessoria de imprensa do filme. Na próxima quinta (5), o longa entra em cartaz em mais 20 cidades: Arapiraca (AL), Paulista (PR), Imperatriz (MA), Volta Redonda (RJ), Petrópolis (RJ), Itanhaém (SP), Poços de Caldas (MG), Leme (SP), Rio Grande (RS), Santa Cruz do Sul (RS), Resende (RJ), Pouso Alegre (MG), Altamira (PA, Marabá (PA), Itajubá (MG), Bragança Paulista (SP), Araras (SP), Rio Verde (GO), Araraquara (SP) e São Carlos (SP).

Em setembro, além de estar em cartaz no Brasil, o longa continua sua trajetória por festivais internacionais. Bacurau será exibido no Festival de Toronto (TIFF 2019) na prestigiosa Mostra Contemporary World Cinema; no MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Horror de Lisboa, em Portugal; e no New York Film Festival, na principal Mostra Main Slate. Vencedor do prêmio do juri no Festival de Cannes e do prêmio de melhor filme na principal mostra do Festival de Cinema de Munique, Bacurau é o representante brasileiro nos prêmios Goya, o equivalente ao Oscar na Espanha, e concorre a uma vaga na disputa pelo prêmio de melhor filme ibero-americano.

Na trama, o pequeno povoado de Bacurau some do mapa misteriosamente e seus moradores começam a presenciar estranhos acontecimentos e uma série de assassinatos inexplicáveis. Bacurau é a segunda coprodução entre a CinemaScopio do Recife (O Som ao Redor, Aquarius) e a SBS em Paris (“Synonymes”, de Navad Lapid, vencedor do urso de ouro em Berlim, “Elle”, de Paul Verhoeven, “Mapas Para as Estrelas”, de David Cronenberg).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.