Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Viver

Música

Virtuosi na Serra reúne nomes internacionais e locais da música erudita

Publicado em: 22/07/2019 21:34

Daniel Espinoza, Ilya Ramlav e Adam Marec estão na programação do festival. Foto: Divulgação

O Virtuosi na Serra, edição do festival de música erudita no interior de Pernambuco, começa nesta terça-feira (23) com apresentação do violonista eslovaco Adam Marec. A programação segue até a sexta-feira (26), sempre começando às 16h e tendo como palco a Igreja Matriz de Santo Antônio, dentro do 29º Festival de Inverno de Garanhuns. Orquestra Jovem de Pernambuco, o pianista russo Ilya Ramlav, o violinista pernambucano Gilson Filho e o o grupo IAMAKÁ são outros destaques da grade.

A Orquestra Jovem de Pernambuco apresentará um concerto sob regência do Maestro Rafael Garcia ainda na terça-feira (23), com obras virtuosísticas que serão executadas por jovens instrumentistas pernambucanos tais como o violinista Gilson Filho e o violista Raul Victor Martins, além do violonista Adam Marec.

Na quarta-feira (24), jovens instrumentistas nordestinos apresentam o programa intitulado A Nova Geração, com participação de Raul Victor Martins, Daniel Espinoza e Fernando Trugueiro. Às 21h, o pianista russo Ilya Ramlav apresenta um programa com obras de Mozart, Liszt & Rachmaninov. Na quinta-feira (25), o violinista pernambucano Gilson Filho sobe ao palco da Igreja acompanhado pelo pianista Luis Felipe Oliveira para apresentarem um programa com obras de Schumann, Beethoven, Bazzini e Waxman. Às 21h, o pianista Luis Felipe Oliveira apresenta um programa com obras de Beethoven, Brahms e Chopin.

O encerramento será no sábado, com o grupo IAMAKÁ que apresenta um programa com músicas medievais e renascentistas. O IAMAKÁ é vinculado ao Departamento de Música do Centro de Comunicação, Turismo e Artes (CCTA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, em parceria com o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e a Escola de Música Anthenor Navarro (EEMAN). O grupo desenvolve um trabalho que abrange os dois extremos da música ocidental: de um lado a música antiga, em especial a medieval e a renascentista, em novos arranjos e roupagens; e de outro a contemporânea, com ênfase em compositores brasileiros, envolvendo canto e instrumentos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Maria, mãe de um povo ferido
Confira a estreia do programa In set
Educação humanizadora e não violência nas escolas
João e os 50 anos de colunismo social
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco