Perda Artes plásticas de luto com a morte de Reynaldo Fonseca

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/07/2019 23:11 Atualizado em: 24/07/2019 00:39

Foto: PAULO PAIVA / DP
Foto: PAULO PAIVA / DP

Faleceu na manhã desta terça-feira (24), aos 94 anos, o artista plástico pernambucano Reynaldo de Aquino Fonseca. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Memorial São José, no bairro do Derby, área central do Recife, onde estava internado em virtude de disfunção cardíaca e morreu por falência múltipla de órgãos. “Perdemos um grande mestre”, declarou Francisco 
Brennand.

Em nota, a Prefeitura do Recife também manifestou pesar pela perda. "Em quase um século de vida, o artista plástico brindou a sociedade recifense  com a luz e cores que se fizeram tão presentes em suas obras. Ele parte deixando como legado uma bela e extensa obra, além do exemplo de dedicação à arte”, diz o texto.

Com óleos sobre tela, aquarelas e obras feitas com pincel seco, Reynaldo costumava retratar famílias, mulheres e crianças. Vivia entre seus quadros e  coleções, em um amplo apartamento no bairro de Boa Viagem, Zona Sul da capital onde nasceu, em 1925. O conforto era fruto de um mundo criado por ele mesmo, todo voltado à sua arte, da qual foi devoto apaixonado. Antes de a saúde se abalar, pintava todos os dias e se dedicava rotineiramente aos estudos dos  próximos trabalhos. O talento surgiu cedo. Aos 5 anos, pintou seu primeiro quadro. 

Na juventude, foi um dos fundadores da Sociedade de Arte Moderna do Recife (SAMR) e também participou do Ateliê Coletivo. Nos dois casos, o academicismo da Escola de Belas Artes era deixado de lado e a abordagem de temas mais regionais era algo perseguido pelos artistas. Foi aluno de artistas como Cândido Portinari e Lula Cardoso Ayres.

Há dois anos, quando completou 75 anos  de carreira profissional como pintor, foi homenageado com um álbum com dez imagens de suas obras, datadas das décadas de 1970, 1990 e 2000 e retiradas de um livro publicado em 2013 pelo marchand Sérgio Oliveira.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.