Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Viver

Superação

Ex-vendedor de água que virou palestrante internacional faz palestra no Recife

Rick Chesther viralizou com vídeo em que relata experiência vendendo água e lançou best-seller sobre sua trajetória

Publicado em: 13/03/2019 09:03 | Atualizado em: 13/03/2019 11:38

Foto: Rick Chesther/Divulgação.
O mineiro radicado no Rio de Janeiro Rick Chesther começou uma trajetória de sucesso com uma nota de R$ 10. A quantia foi emprestada por um amigo para ele iniciar um negócio que acreditava ser lucrativo: vender água na praia de Copacabana, ponto turístico da capital fluminense. Apesar de críticas, ele persistiu, acreditando que aquele mercado tinha público. Por dia, lucrava uma média de R$ 150 a R$ 200. Decidiu compartilhar essa experiência na internet, com um canal no YouTube intitulado Minuto empreendedor. Alcançou milhares de visualizações e, partir daí, para ir de vendedor de água à palestrante de sucesso foi um passo. Só no ano passado, realizou mais de cem palestras e já tem 30 agendadas para 2020.

Rick Chesther ainda se tornou garoto propaganda de um banco, palestrou em Harvard ao lado de doutores e, no ano passado, lançou o livro Pega a visão (Editora Buzz), que segue na lista dos dez mais vendidos do Brasil, de acordo com listas da Veja e da Publishnews. Hoje, ele está no Recife para participar da segunda edição do Transformando ideias em ação, na Casa da Indústria, na Fiepe.

No livro, o mineiro também conta sua trajetória, mesclando detalhes da vida profissional e pessoal, com dicas e lições das quais muitos conseguem se identificar. “Conto quais foram as dificuldades que chegaram até a minha pessoa e como entendi como eu não podia depender do mundo externo. Entendo como caminhei para o lado das vendas, porque eu vendia, como eu fazia aquilo e como a família era importante nisso tudo”, conta Rick, em entrevista ao Viver.

"As pessoas que leem geralmente me dizem que é como se estivessem lendo a própria história contada por outra pessoa. Falo isso porque o brasileiro em geral se parece muito, independente da área onde nasceu. O que difere é a forma como cada um conduziu sua vida, sempre tendo em mente que é preciso lutar diariamente".

Entrevista - Rick Chesther //escritor e palestrante

Você já era bem-sucedido vendendo água, mas a virada na sua vida foi após o YouTube. Quando se deu conta que deveria publicar vídeos?
As pessoas que visitarem minha página vão perceber que faço vídeos há anos. O vídeo que viralizou, na verdade, eu fiz porque uma pessoa me chamou de “neguinho que não podia falar de crise”. Foi especificamente para dar uma resposta para uma pessoa que queria me diminuir, por ser negro e vendedor ambulante. Foi com essa razão que fiz um vídeo sobre como eu vendia água.

O que mudou desde então?
Financeiramente, muita coisa. Saí do extremo de uma realidade para o extremo de outra. Mas o Rick não mudou, sou o mesmo cara que conseguiu ir além. Eu sempre fiz tudo com a mesma vontade que fazia quando vendia verdura aos 7 anos. Já entendi que eu deveria estar pronto para vender. Agora sei que tenho que estar pronto para mandar a mensagem. Nunca fiz as coisas buscando muito bem material, nunca acoplei isso à minha felicidade. A essência é a mesma, a proporção financeira é que mudou. Já aos 7 anos, eu prometi para mim mesmo que iria honrar a luta do meu pai. Se eu fosse pai, iria repassar tudo isso para minha família. É como se fosse a ordem natural do universo.

Que “mensagem” é essa que você pretende passar?
A mensagem que sempre vou passar é que todo mundo pode chegar a qualquer lugar, desde que lute nas mesmas proporções. O que faz duas pessoas de realidades totalmente iguais chegarem em realidades totalmente diferentes é a proporção que elas colocam no que elas fazem. Eu poderia ter vários motivos para desistir, mas não desisti porque sabia que só dependia da proporção do meu empenho e acreditar que poderia ir além. 

Você acabou surfando na onda da moda do “empreendedorismo”. Por que acha que essa iniciativa se tornou tão popular na atualidade?
Acredito que seja a evolução do termo trabalhar “por conta própria”. Vamos pegar um pernambucano como referência, indo até Exu ou Garanhuns. Perguntamos a uma mulher que vende pamonha se ela é empreendedora, ela provavelmente vai dizer que não. Mas ela fez pamonha a vida inteira, alimentou os filhos, sustentou a casa. Ela não sabe que é empreendedora. Se você perguntar se ela trabalha por conta própria, ela vai dizer que sim. O empreendedorismo é um estilo de vida de quem enxerga as coisas como forma de possibilidade. É algo que mexe com o que o ser humano pode fazer em qualquer tempo, por isso ficou popular. É uma hipótese, uma linha de raciocínio de quem considera que pode ir além.

Alguns empreendedores falam como se essa prática fosse a “única forma” de chegar ao sucesso. Concorda?
Sucesso é uma coisa bem diferente de uma pessoa para a outra. Essa doninha do interior de Pernambuco, por exemplo, no universo dela, se consegue andar de cabeça erguida, não dever nada aos outros, alimentar os filhos e criar a família, isso é sucesso. As pessoas têm uma visão de que o sucesso é uma expressão, uma conotação que envolve ter muito dinheiro. Mas isso é relativo. Para mim, existem duas coisas que independem da proporção do sucesso de cada um: jamais desistir e jamais se esquecer da primeira regra. O restante é tudo consequência.

A experiência em Harvard gerou mais conhecimento?
Curricularmente, é muito bom. Mas também penso que os Estados Unidos têm uma realidade muito diferente da nossa. Penso que foi uma coisa boa por ter iniciado minha experiência no exterior. Mas o mais importante mesmo é fazer palestra para falar com o povo daqui. Quem está nas periferias dos grandes centros, do Sudeste ao Nordeste. Para eles, a informação não chega, quando chega está toda esfacelada. As pessoas passam a vida inteira sem saber da existência de uma gama de possibilidades e não ousam apostar nelas. Tem muita gente por ai dizendo que é preciso sair do Brasil, porque não dá para fazer nada aqui. Eu não acredito nisso. Tem como fazer, existem várias pessoas que provam isso e é por isso que gosto de falar para meu povo.

SERVIÇO
Palestra Rick Chesther - Empreendedorismo Motivacional
Onde: Casa da Indústria (Av. Cruz Cabugá, 767, Santo Amaro)
Quando: nesta quarta-feira (13), a partir das 19h30
Quanto: R$ 100, à venda no Sympla.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A importância de um atendimento farmacêutico correto
Primeira Pessoa com Padre Reginaldo Veloso
Sobre Vidas: Casinha - Associação dos Amigos da Vila do Papelão
Dp Auto no Jeep Experience
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco