Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Viver

Teatro

Coletivo teatral O Poste faz treinamento de dança e renova pesquisa de matrizes africanas

Publicado em: 08/03/2019 13:21 | Atualizado em: 08/03/2019 12:07

Foto: Arlison Vilas Boas/Divulgação

O Poste Soluções Luminosas, coletivo teatral formado exclusivamente por artistas negros, tem como base a pesquisa continuada. Neste ano, Agrinez Melo, Naná Sodré e Samuel Santos seguem os estudos de teóricos como o diretor  polonês Jerzy Grotowski, que direcionou sua investigação com artistas ligados à tradição de ritos sagrados; e Eugênio Barba, na sua antropologia teatral, onde destaca a importância da anatomia para o ator e sua construção e reconstrução corporal a partir da observação cultural e ritualística.

Devido ao incentivo do Funcultura, o grupo aprovou o projeto O Corpo Ancestral dentro da Cena Contemporânea: manutenção de Pesquisa, que consiste na continuidade do seu projeto de pesquisa. Em 2015, a pesquisa foi centrada nos terreiros de Candomblé. Em 2018 e 2019, está sendo ampliada para os terreiros de Jurema e Umbanda.

Com a atividade, o grupo cria meios de aprofundar os estudos e vivenciar de forma prática os rituais de matriz africana, estudando os vetores de energias dos orixás e de como podem ser levados para a cena. Nesse segundo momento o aprofundamento virá com a formação da dança dos Orixás, com a professora e Yabá do Terreiro Ilê Obá Aganju Okoloyá, Hellayne Sampaio.

O trabalho visa não só o aprimoramento de suas técnicas, mas também uma parceria com terreiros de Matriz africana. Como principal parceiro dessa etapa da pesquisa, o grupo contou com o terreiro de Umbanda Cabocla Genoveva.

OFICINA
Helaynne Sampaio que é neta da yalorixá Amara Sampaio, filha da yakekere Maria Helena Sampaio e no terreiro desenvolve a função de yabá, a que cuida dos filhos do terreiro. Será a oficineira de dança nagô ancestral, onde irá demonstrar os princípios da dança nagô em uma ótica ancestral e de interpretação para a cena. A oficina é baseada nos princípios do povo nagô. Helaynne Sampaio também é formada em dança pela UFPE. Pesquisa e desenvolve a dança ajò nagô, além de coordenar o corpo de baile do afoxé Oyá Tokolê, que tem 15 anos de existência.

Essa atividade vem para complementar e firmar através da ancestralidade africana e da arte, os métodos desenvolvidos na sistemática de treinamento teatral e ancestral do grupo O Poste Soluções Luminosas, onde a essência do movimento dos orixás em equivalência com método de treinamento de Mikhail Chekhov são norteadores para a metodologia e criação do novo trabalho do grupo e para a formação de novos atores na escola poste de antropologia teatral e nos cursos de formação lecionados ao longo do ano pelos componentes do grupo (Agrinez Melo, Naná Sodré e Samuel Santos). Vale ressaltar que essa pesquisa é pioneira e de fundamental importância para a comunidade teatral e negra do Estado.

- Nessa etapa da pesquisa, além da atividade formativa com Helaynne Sampaio, o grupo está dentro do terreiro de umbanda Cabocla Genoveva, onde o babalorixá Caê, apresenta cuidadosamente as entidades de rua.

- A ideia é ampliar a sistemática metodológica, incluindo além dos orixás, os povos de rua, jurema, sempre em equivalências com a metodologia de Chekhov.

- No final de maio será apresentado um projeto piloto do novo trabalho do grupo baseado na metodologia desenvolvida na pesquisa.

- As oficinas de formação com Helaynne Sampaio acontecem nos dias 09,11,16,18 e 25 de março de 2019 no Espaço O Poste. A atividade é exclusiva para os participantes do grupo.

SERVIÇO
Atividade Formativa com O Poste Soluções Luminosas - O Corpo Ancestral dentro da Cena Contemporânea
Onde: Espaço O Poste (Rua da Aurora, 529, Boa Vista, Recife)
Quando: 09, 11, 16, 18 e 25 de março de 2019

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Moradores cobram inauguração da Upinha Rio da Prata
A importância de um atendimento farmacêutico correto
Primeira Pessoa com Padre Reginaldo Veloso
Sobre Vidas: Casinha - Associação dos Amigos da Vila do Papelão
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco