Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

Literatura

Versões literárias de filmes e séries televisivas chegam às prateleiras brasileiras

Me Chame Pelo Seu Nome e A Forma da Água são alguns lançamentos que acompanham as estreias

Publicado em: 02/01/2018 19:41 | Atualizado em: 02/01/2018 16:09

Drama Me Chame Pelo Seu Nome, que estreia este mês, é inspirado em românce homônimo. Foto: Sony Pictures/Divulgação

A forma da água
, dirigido pelo mexicano Guillermo del Toro, venceu o Leão de Ouro no Festival de Veneza, liderou as indicações para o Globo de Ouro e é um dos destaques literários de 2018. O filme não foi inspirado em algum livro, como é comum, mas Del Toro, em parceria com o autor norte-americano Daniel Kraus, escreveu um romance que expande o universo do longa e chega ao Brasil pela editora Intrínseca.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

Outros pontos de contato interessantes entre o cinema e a literatura surgirão no ano que vem. Mudbound, drama racial que se passa no Mississippi nos anos 1940 dirigido por Dee Rees, ganhou notoriedade no Festival Sundance de Cinema. O livro no qual foi baseado, de Hillary Jordan, será lançado em 2018 pela Sextante.

Em 2017, a cineasta espanhola Isabel Coixet adaptou A livraria, de Penelope Fitzgerald, finalista do Man Booker Prize em 1978, que a Bertrand Brasil trará ao país no aniversário de 40 anos da obra. O Spirit Awards, principal premiação do cinema independente, indicou Me chame pelo seu nome, do diretor italiano Luca Guadagnino, a seis categorias, incluindo a principal. O filme é inspirado no livro de André Aciman, vencedor do Lambda Literary Award, prêmio da literatura LGBT, que a Intrínseca publicará em 2018.

As séries também terão o parentesco com a literatura reforçado no próximo ano. O detetive Mario Conde, personagem dos romances do cubano Leonardo Padura, retorna em A transparência do tempo, que a Boitempo lança em 2018, dois anos após a tetralogia policial da década de 1990 ser adaptada pela Netflix em Quatro estações em Havana.

A série Altered carbon, que estreará no serviço de streaming em 2018, foi inspirada em livros de Richard Morgan. O primeiro título já está disponível no Brasil e o segundo, Broken angels, chega no ano que vem pela Bertrand Brasil. Enquanto a última temporada de Game of thrones não vai ao ar, os aficionados pelo universo medieval e pelas tramas de George R. R. Martin poderão se deleitar com The book of swords, coletânea de contos que a Leya lança em breve. A editora também prepara outra reunião de narrativas curtas: Make something up, de Chuck Palahniuk, autor de Clube da luta, que David Fincher adaptou para o cinema em 1999.

Não é exatamente uma série, mas entre 1969 e 1970 foi ao ar no Brasil a novela da TV Globo inspirada em A cabana do Pai Tomás, de Harriet Beecher Stowe (1811-1896). Escrito como folhetim entre 1851 e 1852 no jornal abolicionista National era, de Washington, o livro ajudou a libertar os escravos norte-americanos (embora o ativista negro James Baldwin diga que se trata de um romance conformista). Ele vai ganhar nova edição no Brasil pela Via Leitura.

Em 2018, a Via Leitura publicará outros clássicos que influenciaram o cinema e podem ser boas opções de leitura para quem se deliciou com as versões audiovisuais: O médico e o monstro (1886), de Robert Louis Stevenson, e Carmilla (1872), de Joseph Sheridan Le Fanu, manancial para Drácula (1897), de Bram Stoker.

Acompanhe o Viver no Facebook:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Soldado russo condenado à prisão perpétua por matar civil na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com o Deputado Federal Carlos Veras (PT)
Última Volta: GP da Espanha 2022 de F1
Antiproibicionismo: Marcha da Maconha por uma nova política de drogas
Grupo Diario de Pernambuco