Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Viver
Televisão Estrela vermelha em boné é coberta na Globo e espectadores apontam censura Quadrinista Gabriel Bá costuma usar adereço semelhante ao de Fidel Castro, mas símbolo foi escondido no Conversa com Bial

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/11/2017 09:12 Atualizado em: 29/11/2017 09:32

No programa, estrela foi escondida com fita isolante. Fotos: Globo e Facebook/Reprodução
No programa, estrela foi escondida com fita isolante. Fotos: Globo e Facebook/Reprodução

Uma estrela vermelha costurada na parte frontal do boné utilizado pelo cartunista Gabriel Bá foi encoberta durante a participação do artista no Conversa com Bial, na noite desta terça-feira (27). Ele, que estava acompanhado do irmão gêmeo, Fábio Moon, e a Globo estão sendo alvo de críticas nas redes sociais por cobrir o símbolo com fita isolante preta, atitude vista pelos espectadores como "censura", uma vez que o adereço é semelhante ao que costumava ser usado por Fidel Castro, ex-governante de Cuba. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

"Entrevista muito boa com o Gabriel Bá e o Fábio Moon no Conversa com Bial! Só a censura ao boné do Bá que ficou feia", escreveu um usuário do Twitter. "Que decepção! Tinha certeza de que era efeito de edição e de que você não tinha sido cúmplice... Mas, não! É fita crepe mesmo, escondendo a estrela vermelha", criticou um fã na página do cartunista. "Cara, não adianta agora 'posar' de 'garoto rebelde'. Tu abaixou a cabeça para a TV Globo com uma subserviência nunca vista. Que nojo! Honre suas calças, rapaz! Fitinha crepe para esconder a estrela vermelha", disse, ainda, outro. 

Gabriel Bá, que, ao lado irmão, criou a série 10 pãezinhos, nos anos 2000, ainda não se pronunciou sobre o ocorrido nas redes sociais. O Viver entrou em contato com o artista via e-mail, mas não obteve retorno. A assessoria de imprensa da Globo afirma que está apurando o caso com a produção do programa e deve se pronunciar em breve.

Os premiados quadrinistas conversaram com Bial, dentre outros temas, sobre a adaptação que fizeram de Como falar com garotas em festas, livros do escritor norte-americano Neil Gaiman. "Você não aprende a interagir com outras pessoas, você tem uma relação inabalável. Claro que tínhamos amigos, mas era uma relação mais fraca em relação à nossa bolha. Éramos muito tímidos. Falar com meninas sempre foi um problema. A gente ensaiou muito em histórias coisas que a gente não tinha coragem de fazer na vida real", disse Bá. 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Exposição resgata histórias de jornais centenários
Um teste com o novo Renault Logan
Peças plastificadas, bolsa de palha e óculos escuros
Moro cogita continuidade da Força Nacional em Paulista
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco