Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Viver
Literatura Série literária sobre o herói africano Kiriku é lançada no Brasil Livros são voltados para o público infantil e trazem como personagem principal um menino esperto que enfrenta uma poderosa feiticeira

Por: Bárbara Valdez

Publicado em: 19/11/2016 09:30 Atualizado em: 19/11/2016 11:17

Lenda africana é uma das mais conhecidas e já foi adaptada para o cinema, teatro e literatura. Foto: ArtMann/Divulgação
Lenda africana é uma das mais conhecidas e já foi adaptada para o cinema, teatro e literatura. Foto: ArtMann/Divulgação

No mês da Consciência Negra, o público brasileiro poderá ter contato, por meio da literatura, com um das lendas africanas mais divulgadas pelo mundo, a do menino Kiriku, que defende sua aldeia da cruel feiticeira Karabá. A história, voltada para o público infantil, com idade a partir de 6 anos, traz uma narrativa cheia de ação e fantasia. No país, a editora Viajante do Tempo é quem está realizando o lançamento, que será feito nesse sábado (19), em um evento no Rio de Janeiro. Aqui em Pernambuco, a publicação vai estar disponível na Livraria Cultura, a partir da segunda-feira (21).

De acordo com Regis Rosa, sócio da editora, a ideia é lançar uma série de livros sobre o herói. Nesse primeiro momento serão publicados dois exemplares: Kiriku e a feiticeira (52p, R$ 44) e Kiriku e o colar da discórdia (20p, R$ 30). Para o próximo ano estão agendados mais cinco títulos: Kiriku e a hiena negra, Kiriku e o búfalo de chifres de ouro, Kiriku e a girafa, Kiriku e as sombras, Kiriku e os homens e as mulheres.

A lenda de Kiriku não tem uma origem definida, mas a história ficou conhecida depois do filme franco-belga Kiriku e a feiticeira, produzido em 1998, pelo diretor Michel Ocelot. Ele morou na Guiné quando criança e achou a história que mostra uma criança superdotada, predestinada a salvar sua aldeia, interessante. A produção inclusive foi apresentada em outubro passado no Cinema do Museu, em Casa Forte. Para Regis Rosa a aventura é marcante. "Essa história é uma referência para a população de origem afrodescendente e deve ser apreciada por todas as pessoas. Ela é uma maneira de valorizar a cultura africana, além disso, dá representação a um herói negro e precisamos disso", explica.

Mesmo muito pequeno, Kiriku já sabe falar, andar e defende seu povo com astúcia. O menino anda sempre sem roupas, como um retrato da liberdade das aldeias, longe do mundo urbano. A feiticeira Karabá é coberta de jóias, ambiciosa e busca o poder a qualquer custo. Um dia, ela secou a fonte de água da aldeia do menino e em outro momento deu um colar de ouro que se tornou fonte de discórdia e inveja entre os adultos. Para acabar com as artimanhas da malvada, Kiriku é valente e não desiste do povo.

Os livros publicados são escritos Michel Ocelot e trazem ilustrações coloridas, que remetem a África subsariana, também chamada África Negra e que engloba o Deserto do Saara. 


SERVIÇO

Kiriku e a feiticeira
R$ 44
Editora Viajante do Tempo

Kiriku e o colar da discórdia
R$ 30
Editora Viajante do Tempo

Os livros vão estar disponíveis na Livraria Cultura a partir dessa segunda-feira (21)


Acompanhe o Viver no Facebook:



Cavani Rosas e o percurso entre a ciência e o sobrenatural
In Set com Alessandra Pires
Tecnologia e inovação aplicadas à educação
Moradores cobram inauguração da Upinha Rio da Prata
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco