SAÚDE

Saiba como cuidar da saúde respiratória e pulmonar durante o período Junino

Asma, rinite, DPOC e outras doenças podem ser agravadas

Publicado em: 17/06/2024 14:00

As consequências atingem mais as crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, por serem mais sensíveis (Foto: Rafael Lima)
As consequências atingem mais as crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, por serem mais sensíveis (Foto: Rafael Lima)
Além do risco de queimaduras com as fogueiras e fogos, as festas juninas levantam alertas de especialistas no que se refere às doenças pulmonares e respiratórias, que podem surgir ou se agravar devido à inalação de fumaça e ao período chuvoso.

De acordo com o pediatra e facilitador do Centro de Simulação (CSim) da Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS), Matheus Brandt, nesse período aumenta a quantidade das doenças, como rinite e asma, por exemplo.

"A inalação da fumaça pode causar sufocamento e o envenenamento do corpo com substâncias químicas tóxicas, como o monóxido de carbono, processo que danifica a traqueia, as passagens respiratórias e/ou os pulmões. A combinação entre a fumaça e as chuvas pode agravar também condições alérgicas como a rinite e a sinusite, causando sintomas como inflamações, tosse, secreção, coriza, dificuldade para respirar e cansaço", explica.
 
GRUPOS DE RISCO

As consequências atingem mais as crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, por serem mais sensíveis.

"Pessoas com asma, bronquite, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), tuberculose e outras condições são particularmente vulneráveis", reforça o médico.
 
A asma é uma das doenças mais comuns. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 23,2% da população sofra com essa condição, que provoca dificuldade de respirar, o chiado, aperto no peito e a respiração curta e rápida. Além dela, existe a doença pulmonar obstrutiva crônica, em que sete milhões de pessoas são afetadas, de acordo com Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia; e a rinite alérgica, que representa de 10 a 25% da população, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.
 
CUIDADOS E PREVENÇÃO

O ideal é evitar a exposição em festas juninas com fogueiras. Caso a pessoa participe da festa, é importante ficar o mais longe possível das fumaças, não se aglomerar e usar máscara. 

Além disso, é importante manter as medicações em dia, ambientes arejados e priorizar uma vida saudável com hidratação. E lembrar sempre atualizar o cartão de vacinação.
 
Aliado a esses cuidados, o atendimento médico é fundamental, principalmente para a faixa etária de risco, como crianças abaixo de seis meses de idade e idosos, portadores de doenças respiratórias graves e sempre que houver sintomas mais severos, como como a falta de ar, aumento da frequência respiratória, chiado no peito, dificuldade para dormir, tosse, secreção e cansaço em atividades simples.

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS

O cenário de doenças respiratórias e pulmonares requer profissionais de saúde capacitados no manejo dos casos. No Centro de Simulação (CSim) da FPS, são ministrados cursos de urgências pediátricas e Urgências em Clínica Médica.

"São oferecidos treinamentos de como analisar a gravidade da situação e como proceder em emergências", afirma a coordenadora do Centro, Brena Melo.

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL