DESVIO DE CARGA

Polícia desarticula quadrilha especializada em desvios de cargas

Segundo a polícia, devido ao esquema ilegal, uma transportadora teve um prejuízo de mais de R$ 1 milhão em uma carga desviada de eletrodomésticos

Publicado em: 20/06/2024 21:10 | Atualizado em: 20/06/2024 21:47

A Polícia Civil pernambucana deu detalhes sobre a operação, nesta quinta (20) (Foto: Divulgação/PCPE )
A Polícia Civil pernambucana deu detalhes sobre a operação, nesta quinta (20) (Foto: Divulgação/PCPE )
 
A Polícia Civil pernambucana deflagrou uma operação que desarticulou uma quadrilha especializada em desvio de cargas de grande valor e distribuição de materiais roubados para o mercado informal em outros estados do Nordeste. A ação policial denominada de “Consórcio Delitivo”, foi deflagrada na quarta-feira (19), mas a corporação pernambucana deu detalhes da operação nesta quinta (20), em coletiva à imprensa, na sede operacional da Polícia Civil, na área Central do Recife. 

Ao todo, três homens suspeitos de integrar a quadrilha foram presos no Grande Recife. Além disso, a polícia cumpriu cinco mandados de busca e apreensão. Uma pessoa encontra-se foragida, segundo a polícia pernambucana. 

Todos os mandados foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife (RMR). 

Os presos são motoristas de caminhões de transportadora de carga e atuavam no esquema criminoso de desvio de materiais. 

Segundo a Polícia Civil, a investigação começou em setembro de 2023 e envolvia o roubo de eletroeletrônicos e também alimentos. 

Segundo a polícia, devido ao esquema ilegal, uma transportadora teve um prejuízo de mais de R$ 1 milhão em uma carga desviada de eletrodomésticos. Neste caso, a carga foi desviada do município do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, para cidades do interior do Estado de Alagoas (AL). 

A quadrilha atuava em um esquema em que os suspeitos registravam boletins de ocorrência (BOs) falsos, com dados inverídicos, para apresentar os dados falsos à empresários donos de transportadores para que assim pudessem desviar as cargas para centros de distribuição em outros estados nordestinos. 

“Identificamos a existência de um galpão que servia para armazenagem e, posteriormente, comercialização dos materiais desviados. Esses bens com origem ilícita são forjados no circuito da ilegalidade, mas, uma vez desviados, passavam ao circuito da legalidade. Um dos investigados apresentou cinco boletins falsos para poder desviar as cargas”, explicou o delegado responsável pelas investigações, João Paulo de Andrade, que é titular da Delegacia de Polícia de Roubos e Furtos de Cargas (DPRFC). 

Ainda segundo o investigador, “As mercadorias que embarcavam de centros de distribuição em Pernambuco eram levadas para outros estados do Nordeste de forma ilegal para difucultar as investigações. Tivemos o registro de boletins de ocorrência falsos feitos em Sergipe e Alagoas, de cargas oriundas daqui de Pernambuco”, disse o investigador.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL