Diario de Pernambuco
Busca

JUDICIÁRIO

Desembargador Eduardo Pugliesi é convocado para atuar no TST

Segundo o Desembargador, essa convocação é uma homenagem ao Tribunal Regional do Trabalho de Pernambuco e seus 19 membros, que vêm desempenhando um trabalho fundamental no Estado

Publicado em: 20/12/2023 19:21 | Atualizado em: 20/12/2023 23:24

O desembargador também ressaltou o trabalho da Escola Judicial do TRT da Sexta Região e os desembargadores que o antecederam (Foto: Divulgação)
O desembargador também ressaltou o trabalho da Escola Judicial do TRT da Sexta Região e os desembargadores que o antecederam (Foto: Divulgação)
O desembargador Eduardo Pugliesi, do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT-6), foi convocado para atuar nO Tribunal Superior do Trabalho (TST), no gabinete do ministro Guilherme Caputo Bastos, que será conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a partir de fevereiro de 2024.

“É uma alegria imensa receber este convite, que não deixa de ser um reconhecimento pelo trabalho que a gente vem fazendo nesses últimos sete anos aqui no TRT-6,  mas eu penso, verdadeiramente, que isso é uma homenagem ao Tribunal e a todos os seus 19 membros. Um tribunal extremamente austero, competente, eficiente, rápido, que entrega efetivamente aos cidadãos que procuram a Justiça do Trabalho. Então, eu vejo essa minha escolha como uma escolha do Tribunal e não uma escolha de Eduardo Pugliesi. Poderia ser qualquer um dos 19 desembargadores”, pontuou.

O desembargador também ressaltou o trabalho da Escola Judicial do TRT-6 e dos desembargadores que o antecederam. “Vejo também essa escolha como uma homenagem à Escola Judicial do TRT-6, onde eu sou diretor, sucedendo outros grandes desembargadores, como Valdir Carvalho, Ivan Valença e Nise Pedroso. Foi um belíssimo trabalho com visibilidade nacional na Escola Judicial, de formação dos magistrados trabalhistas de Pernambuco. E isso fez com que os ministros do TST vissem esse trabalho e quisessem, de certa forma, homenagear o atual diretor com a escolha para ocupar a vaga, provisoriamente, na condição de desembargador convocado, enquanto o titular encontra-se no CNJ, no gabinete do ministro Guilherme Caputo Bastos”,explicou Pugliesi. 

CURRÍCULO
Recifense, Eduardo Pugliesi é graduado pela Faculdade de Direito do Recife (UFPE) e pós-graduado em Direito do Trabalho na mesma instituição. Também fez mestrado em Direito pela Universidade de Lisboa (2002/2003), tendo como orientador o professor Marcelo Rebelo de Sousa.

Em maio de 2016, aos 44 anos, foi indicado pela Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Pernambuco (OAB-PE) para compor o Quinto Constitucional do Tribunal Regional do Trabalho 6ª Região (TRT-PE), sendo nomeado desembargador. 

Hoje, integra a Primeira Turma do Regional. Já foi membro por três mandatos da Comissão de Regimento Interno e Conselheiro e vice-diretor da Escola Judicial (Ejud-6).
É coordenador da Comissão de Relações Institucionais, membro do Conselho Deliberativo do TRT6 Saúde e diretor da Escola Judicial (Ejud-6). Atualmente, é vice-presidente da Associação Nacional dos Desembargadores (Andes).

Antes de ingressar na magistratura, foi atuante advogado, carreira a que se dedicou bem cedo, abrindo seu próprio escritório aos 23 anos.

Ao mesmo tempo, começou a ensinar na Universidade de Pernambuco (UPE). Foram 15 anos dedicados à docência em diversas Instituições de Ensino, entre elas, a Universidade de Pernambuco - UPE; a UNIAESO, a UNINASSAU, a Estácio de Sá, a Escola da Advocacia da OAB-PE, a Escola de Contas do TCE-PE e a Escola do Legislativo da ALEPE-PE. 

Ocupou os cargos de diretor da Escola Superior de Advocacia Ruy da Costa Antunes (2004-2006), vice-presidente da OAB-PE (2007-2009) e presidente da Comissão de Acompanhamento Legislativo do Conselho Federal da OAB-PE. 

Foi um dos fundadores e presidente do Instituto Egídio Ferreira Lima. Trabalhou ainda por quatro anos na Câmara Municipal do Recife e outros sete na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL