Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

DEBATE

Evento debate a contribuição de dez mulheres negras pernambucanas nas políticas públicas

Publicado em: 10/11/2021 10:04

 (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Foto: Reprodução/Redes Sociais
O Observatório Feminista do Nordeste, com apoio do Fundo Elas, realizará no próximo sábado (13) a primeira edição do TedF NE. Com o tema “Mulheres negras falam”, o evento traz a contribuição de dez mulheres negras pernambucanas sobre atuação política nas periferias, e dentro das religiões; vivência LBTT+ e em partidos; e violência política. A transmissão acontece a partir das 14h no no canal do youtube do observatório e no Centro de Cultura Luiz Freire, em Olinda, para quem já se inscreveu no evento.

De acordo com a organização, o objetivo do debate  é visibilizar o trabalho realizado pelas mulheres negras nos campos políticos, reconhecendo essas atuações como potenciais transformadoras das realidades sociais.

O encontro também celebra o Novembro Negro, mês voltado para o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra (20), marcando a importância das discussões e ações para combater o racismo e a desigualdade social no país.

Confira as palestrantes do TedF NE 

Atuação política nas periferias
Ediclea Maria Santos da Silva é mulher negra, feminista, antirracista, periferica e ativista do movimento Rede de Mulheres Negras de Pernambuco, Forum de mulheres de Pernambuco, Articulação de Mulheres Brasileiras, Educadora popular, Coordenadora do Grupo Espaço Mulher e Promotora legal Popular. Edicleia é moradora da comunidade de Passarinho, periferia do Recife. 

O debate também terá a participação de Sarah Marques, cofundadora do Coletivo Caranguejo Tabaiares Resiste e Educadora Popular.

Atuação política LBTQIA  
Jarda Araújo é travesti negra de 25 anos, moradora do Ibura. "Cotidianamente sigo com o compromisso de viver e isso é algo que internalizei e não abro mão. Ser travesti e negra são dois marcadores que não podem em nenhuma das hipóteses serem associados à precariedade, e meu compromisso é mostrar isso para todas aquelas que assim como eu, acreditam num futuro possível".

Patricia Naia é professora, Licenciada em Letras, escritora, poeta e produtora cultural. 

Atuação política em partidos

Gisele Tiburtino - negra, mãe, feminista e de candomblé é técnica de enfermagem e constrói a marcha mundial das mulheres. "É da luta junto as mulheres negras e periféricas que me forjo enquanto militante feminista, faço parte da corrente socialismo em construção e milito no PT". Gisele é assessora parlamentar da vereadora Flávia Hellen.

Elisa Maria é militante da Consulta Popular e da Marcha Mundial das Mulheres, pesquisadora do Instituto Popular Frei Caneca, produtora cultural, colaboradora do Centro de Educação e Cultura Marcaxé do da Associação Cultural Nação Mulambo. Elisa também é advogada formada pela Unicap e mestra em Justiça e Direitos Humanos na América Latina pelo Programa de Pós-graduação em Direito da UFPE.

Atuação política e Violência Política 
Piedade Marques é mestra em Estudos Africanos, coordenadora de relações institucionais da rede de mulheres negras de Pernambuco e coordenadora de articulação da rede de mulheres negras do nordeste. Piedade faz parte da Liderança Feminina Negra do Programa Mariele Franco do Fundo Baobá. 

Débora Aguiar é mãe de duas crianças, ativista por direitos humanos periférica, educadora popular, Advocacy social, egressa do sistema prisional, Suplente a Câmara dos vereadores do Recife, mobilizadora nacional pelo desencarceramento na Rede nacional de Antiproibicionistas. Débora também faz parte da Agenda Nacional pelo desencarceramento e da Frente pelo desencarceramento de Pernambuco, construindo desde 2015 na região metropolitana do Recife ações direcionadas as mulheres mães e jovens negros, indígenas e periféricos, pautando a necessidade de lutar por políticas públicas efetivas que garantam o bem-viver a corpos e territórios dissidentes.

Atuação política e Religião 

Debora Oliveira - mulher negra, nordestina, pernambucana do Agreste do estado e evangélica. É estudante de comunicação, videomaker, realizadora audiovisual e compõe o Coletivo Obirin, o Movimento Negro Evangélico em Pernambuco e a Rede de Mulheres Negras Evangélicas. 

Gabriela Sampaio é Íyápetebí do Ilê Obá Aganjú Okoloyá - Neta carnal de Mãe Amara, Educadora popular e social , multiartista, Sócia-fundadora e Backvocal do Afoxé OyáAlaxé, Produtora executiva e cultural do Afoxé Oyá Alaxé, Balé Nagô Ajô, idealizadora do Coral Amadê Korin Nagô, Instituto Aqui tem Vida, Awá Produções Criativa, professora e pesquisadora de dança inclusiva, professora de danças populares e afro-brasileira e passista de frevo. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Unicap continua com as inscrições abertas para Vestibular 2022
Bruno Becker, da chapa Náutico Sustentável, divulga projetos para o Timbu
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Romero Sales Filho (PTB)
Grupo Diario de Pernambuco