Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

SENTENÇA

Acusado de matar estudante Remís Carla é condenado a 18 anos e 3 meses de prisão

Publicado em: 09/11/2021 21:24 | Atualizado em: 09/11/2021 21:52

 (Foto: Reprodução/Facebook)
Foto: Reprodução/Facebook

O ajudante de pedreiro Paulo César Oliveira da Silva, acusado de matar a estudante de Pedagogia Remís Carla Costa em dezembro do ano de 2017, foi condenado a 18 anos e três meses de prisão, em julgamento no Fórum Thomaz de Aquino, no bairro de Santo Antônio, ontem à noite. Remís tinha 24 anos quando o crime foi cometido pelo seu então namorado.

 

A sessão, que começou por volta das 10h, foi presidida pela juíza Fernanda Moura de Carvalho, que leu a sentença perto das 19h. O ajudante de pedreiro teve seu destino decidido por sete jurados, que o condenaram com os qualificadores de feminicídio, motivo fútil, utilização de recursos que impossibilitaram ou dificultaram a defesa da vítima, além de ocultação de cadáver. Paulo César seguiu para o Conjunto Prisional do Curado, onde já estava preso, e vai permanecer lá até que o juiz de execuções decida se ele irá permanecer no conjunto ou será transferido para outro local. 

 

Desde a manhã, parentes e amigos da estudante universitária estiveram em frente ao local do julgamento clamando por justiça. Integrantes do Diretório Acadêmico de Pedagogia da UFPE, da qual ela fazia parte, levaram cartazes e fotos de Remís

 

Ela desapareceu no dia 17 de dezembro de 2017. Foi vista pela última vez no bairro da Caxangá, na Zona Oeste do Recife, após ter discutido com o namorado e sair da casa dele sem dar informações para onde iria. Na época a mãe da jovem, Rosinete Maria, com quem ela morava, no município de Igarassu, Região Metropolitana do Recife, explicou que sua filha passava os finais de semana na casa do namorado. E foram dele as primeiras informações, dando conta que, após uma briga, Remís havia ido embora.

 

Amigos mais próximos dela, diziam que o relacionamento era abusivo, inclusive com a estudante já tendo sofrido agressões, incluindo um celular quebrado pelo companheiro. Após esse episódio, ocorrido no final do mês de novembro, ela havia ido à Delegacia da Mulher, onde prestou queixa por injúria, ameaça, lesão corporal e danos

 

No dia 23 de dezembro, o corpo foi encontrado a apenas 400 metros de distância da casa de Paulo, em avançado estado de decomposição. No final daquela tarde, o namorado, já tratado pela Polícia como principal suspeito, foi preso e confessou ter matado Remís por esganadura. Na época ele estava com 25 anos. O corpo foi enterrado no dia 24 de dezembro, véspera de Natal,  no Cemitério Campo Santo São José, em Paulista, no Grande Recife. 


 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Unicap continua com as inscrições abertas para Vestibular 2022
Bruno Becker, da chapa Náutico Sustentável, divulga projetos para o Timbu
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Romero Sales Filho (PTB)
Grupo Diario de Pernambuco