Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

MONITORAMENTO

UFPE e Caruaru firmam convênio para monitoramento epidemiológico de variantes do coronavírus

Publicado em: 01/06/2021 18:21

 (Foto: Edmilson Tanaka/Divulgação
)
Foto: Edmilson Tanaka/Divulgação
A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Prefeitura de Caruaru, no Agreste pernambucano, assinaram convênio para realizar um monitoramento epidemiológico de variantes do vírus Sars-CoV-2 para melhor controle da pandemia da Covid-19 na região. Firmado na segunda-feira (31), o convênio tem duração de seis meses, com início imediato.

“Caruaru é a primeira cidade, o primeiro município, a realizar esse processo de monitoramento, portanto, das novas variantes. É um acontecimento espetacular para nossa universidade, que está entrando com essa pesquisa, e também para o município de Caruaru”, afirmou o reitor Alfredo Gomes.

Por meio da ação, será possível monitorar novas variantes do vírus Sars-CoV-2 B.1.1.7 (variante Reino Unido), P.1 (variante Manaus), B.1.1.33 (todos os países), B.1.351 (variante África do Sul), B.1.525 (combina mutações das variantes do Brasil, África do Sul e Reino Unido), B.1.617, B.1.617.1 e B.1.617.3 (variantes Índia) em pacientes de Caruaru. Esse trabalho também vai contribuir para a formação de um biorrepositório de amostras biológicas, que poderá ser usado em futuros estudos sobre a Covid-19.

“É mais uma parceria da Prefeitura de Caruaru com a Universidade Federal [de Pernambuco]. Tudo isso com o objetivo de a gente conseguir mais vacinas para o Agreste pernambucano, identificando a possibilidade de novas variantes aqui e comprovando cientificamente para que, baseado em evidências, a gente possa avançar no combate ao coronavírus”, disse a prefeita Raquel Lyra.

Além deste convênio entre UFPE e Prefeitura de Caruaru, a Universidade está direcionando o apoio da pesquisa “Diversidade Genômica de Cepas de Sars-CoV-2 Isoladas de Portadores de Covid-19 do Estado de Pernambuco”, coordenada pelo Laboratório de Bioinformática e Biologia Evolutiva (Labbe) do Departamento de Genética da UFPE e apoiada pelo Ministério Público do Trabalho em Pernambuco (MPT-PE). Essa parceria é responsável pela identificação de 16 novas cepas do vírus no estado. E diante da emergência em que o município de Caruaru e o Agreste se encontram, serão direcionados ainda mais esforços para a busca de novas cepas na região.

A Prefeitura de Caruaru já começou o envio das amostras de pacientes da rede pública de saúde para a UFPE, que já iniciou o monitoramento das novas variantes e o sequenciamento para identificação de novas cepas do vírus na região. Em alguns dias, são esperados resultados, que terão como impacto a garantia de um diagnóstico seletivo, eficaz e específico para a infecção pelo Sars-CoV-2, considerando o surgimento de novas variantes.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Advogado de enfermeira afirma que Maradona foi morto
Manhã na Clube: entrevistas com Décio Padilha, Adriana Barros e Roseana Diniz
Para evitar contaminação por Covid, robôs oferecem água benta em Meca
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco