Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

EDUCAÇÃO

Consórcio Pernambuco Universitas lança Jornada Centenário Paulo Freire na próxima segunda

Publicado em: 16/04/2021 18:50

 (Foto: Acervo Paulo Freire/Divulgação
)
Foto: Acervo Paulo Freire/Divulgação
O ano de 2021 marca os 100 anos do nascimento de Paulo Freire, patrono da educação brasileira e reconhecido mundialmente pela criação do revolucionário método de alfabetização para adultos que leva o nome dele. Para marcar esse momento histórico, o Consórcio Pernambuco Universitas, do qual a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) faz parte, promove a Jornada Centenário Paulo Freire, com lançamento on-line na próxima segunda-feira (19), às 10h30. 

O evento será transmitido no canal da Universidade de Pernambuco (UPE) no YouTube. A cerimônia terá a participação dos oito reitores das instituições de ensino que integram o consórcio: Alfredo Gomes, da UFPE; Pedro Falcão, da Universidade de Pernambuco (UPE);  Marcelo Carneiro Leão, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Paulo César Fagundes Neves, da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf); Padre Pedro Rubens, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap); Airon Aparecido Silva de Melo, da Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape); José Carlos de Sá, do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE); e Maria Leopoldina Veras Camelo, do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE). 

Também participarão os pró-reitores de Extensão e Cultura das instituições, que estão à frente da organização da programação conjunta. O evento, que também contará com fala do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, ainda terá leitura de poemas e apresentação cultural do cantor Silvério Pessoa.

A jornada abarca uma diversidade de ações educativas sobre o pensamento deste ilustre pernambucano, cuja visão e prática na educação respeitam homens e mulheres como sujeitos do conhecimento. As ações buscam ampliar a visibilidade sobre o pensamento de Paulo Freire junto à sociedade e aumentar a compreensão da extensão universitária, baseada nos postulados freireanos, como um processo educativo e crítico de formação profissional e transformação da relação entre a universidade e a sociedade.

Neste contexto, UFPE, UPE, UFRPE, Univasf, Unicap, Ufape, IFPE e IF Sertão-PE, por meio de suas Pró-Reitorias de Extensão, articulam a programação, que acontece até setembro, mês de nascimento de Paulo Freire. As atividades têm parceria de organizações do estado, dos municípios e da sociedade civil.

Biografia

Paulo Reglus Neves Freire nasceu em 19 de setembro de 1921, no bairro de Casa Amarela, no Recife. Era filho de Joaquim Temístocles Freire (capitão da Polícia Militar de Pernambuco) e de Edeltrudes Neves Freire. Começou a ler sob orientação de sua mãe, no quintal da própria casa. Estudou no Colégio 14 de Julho e no Colégio Oswaldo Cruz, ambos no Recife. Em 1943, ingressou na Faculdade de Direito do Recife (FDR), atualmente da Universidade Federal de Pernambuco.

Como profissional, Paulo Freire passou por diferentes espaços e níveis educacionais no âmbito escolar e do movimento social: Colégio Oswaldo Cruz, Serviço Social da Indústria (Sesi), Instituto Capibaribe (do qual foi um dos fundadores), além da Escola de Serviço Social, Escola de Belas Artes e Serviço de Extensão Cultural do Recife da Universidade do Recife, atualmente Universidade Federal de Pernambuco. 

Em 1960, foi nomeado professor efetivo de Filosofia e História da Educação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade do Recife (atual UFPE). Em 1961, tornou-se professor livre-docente da disciplina de História e Filosofia da Educação da Escola de Belas Artes do Recife. Além disso, Paulo Freire também se envolveu em movimentos de educação popular. Ele foi um dos fundadores do Movimento de Cultura Popular (MCP) do Recife.

Durante a ditadura militar no Brasil, iniciada em 1964, Paulo Freire foi preso e exilado. Passou um breve período na Bolívia e, em seguida, fixou-se no Chile, onde continuou seus trabalhos na área da educação. Anos depois, foi para a Suíça. Durante o exílio, passou por países da América, África, Ásia, Oceania e Europa. Retornou ao Brasil, no início dos anos 1980, com a reabertura política. Após a volta ao país, lecionou na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e na Universidade de Campinas (Unicamp). Foi secretário de Educação da cidade de São Paulo, de 1989 a 1991.

Em 1986, recebeu o Prêmio de Educação para a Paz da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Ao longo de sua vida, recebeu diversos títulos de Doutor Honoris Causa de universidades do mundo inteiro. Escreveu dezenas de livros, com destaque para “Pedagogia do Oprimido”, “Educação como Prática da Liberdade”, “Ação Cultural para a Liberdade e Outros Escritos” e “Cartas à Guiné-Bissau: Registros de uma Experiência em Processo”. Entre as obras mais recentes estão “A Educação na Cidade”, “À Sombra desta Mangueira” e “Cartas a Cristina: Reflexões Sobre Minha Vida e Minha Práxis”.

O sistema de alfabetização para adultos criado por ele (Método Paulo Freire), que integra as vivências e experiências dos alunos ao processo de aprendizado, influenciou professores e professoras de todo o mundo, obtendo reconhecimento internacional. O pensamento de Paulo Freire é estudado em várias universidades do Brasil e do exterior. A UFPE mantém a Cátedra Paulo Freire, que representa o reconhecimento à importante contribuição social, política e pedagógica deste educador para a humanidade, além de preservar a memória e a produção freireana. Paulo Freire faleceu, no dia 2 de maio de 1997, em São Paulo.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
ONU pede  investigação independente sobre chacina no Rio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 07/05
Teich vincula renúncia à pressão de Bolsonaro para usar cloroquina
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 06/05
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco