Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

"BESTEIROLOGISTAS"

Na pandemia, Doutores da Alegria levam bom humor a pacientes através de chamadas online

Publicado em: 24/03/2021 14:46

 (Foto: Doutores da Alegria/Divulgação)
Foto: Doutores da Alegria/Divulgação
Após 28 anos de trabalho ininterrupto em hospitais públicos, os palhaços da associação Doutores da Alegria se viram diante de um cenário até então inimaginável. Há um ano, as visitas presenciais às unidades de saúde estão suspensas por conta da pandemia de Covid-19. Passado o impacto inicial, a associação se reestruturou para transformar parte do que fazia presencialmente em conteúdo online para atender profissionais de saúde, crianças hospitalizadas e seus acompanhantes.

Nesse período, 12 ações emergenciais foram criadas especialmente para o formato virtual e acumulam números importantes: até 1º de março de 2021, as iniciativas artísticas dos Doutores nas plataformas digitais alcançaram 13.740.988 pessoas, com 9.180.197
visualizações individuais dos vídeos e transmissões e 542.751 interações nas plataformas de transmissão e redes sociais.

No Recife e em São Paulo, os palhaços continuam atuando nos 14 hospitais atendidos pelo grupo através das intervenções do Plantão Besteirológico. Na capital pernambucana, uma dupla de palhaços realiza as visitas online para pacientes e profissionais de saúde duas vezes por semana no Hospital da Restauração (HR), Barão de Lucena, Hospital Universitário Oswaldo Cruz e Procape, e Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip).

Um profissional de saúde designado pelo hospital, seja de enfermagem ou outra área, vai a cada leito das enfermarias pediátricas com um tablet com pacote de internet, disponibilizado às unidades de saúde pela associação. Do outro lado da tela, a dupla de palhaços, de suas próprias casas, está preparada para interagir com a criança, uma por vez, nos mesmos moldes do atendimento presencial, privilegiando a potência do encontro e a individualidade de cada situação de atendimento. Depois de cada atendimento, o equipamento é higienizado.

“A mediação da tela já era, em certa medida, uma realidade para muitas crianças internadas. Para interagir com a família que ficou em casa, por exemplo. Então apesar da falta que nos faz a atuação presencial, o encontro com essas crianças acontece de maneira natural e continuamos percebendo que traz impactos positivos”, explica Arilson Lopes, coordenador da unidade Recife da associação Doutores da Alegria. Mais de 4,6 mil pessoas já foram contempladas pelas visitas do Plantão Besteirológico no Recife e em São Paulo.

Antes mesmo da estruturação do Plantão, o marco zero da transição para a interação online foi a série de esquetes Delivery Besteirológico. Uma rotina de produção, gravação e distribuição de vídeos pelos artistas foi desenvolvida em poucas semanas após o anúncio do impedimento das visitas presenciais aos hospitais, envolvendo diversas equipes da associação.

A ideia inicial era fazer com que esses vídeos chegassem às crianças dos hospitais que ficaram sem o atendimento cotidiano. Mas o conteúdo atingiu prontamente também um novo público, ainda mais diverso e numeroso: o que estava fora dos hospitais, que passou a ter acesso a material inédito e exclusivo dos besteirologistas nas redes sociais (Instagram, Facebook, TikTok) e plataformas de transmissão (Youtube). Cerca de 250 vídeos dos artistas já foram publicados desde março de 2020, entre mais de mil recebidos.

Outra iniciativa foi a criação do Grupo de Whatsapp Delivery, que distribuiu conteúdo direcionado a mais de 130 profissionais de saúde de hospitais parceiros cadastrados. Em junho, os artistas do elenco pernambucano criaram a websérie de São Joãozinho “A peleja do noivo que tentou enganar a noiva na festa de São João ou vice e versa”. A peça inspirada em literatura de cordel, que era apresentada nos hospitais, foi transformada em cinco episódios de uma série. Os artistas também fizeram a Live de São João, com participação de Dudu do Acordeon, sanfoneiro que cedeu canções para o grupo, completando a tradicional celebração da data, desta vez virtualmente.

Outro momento importante foi o 1º Festival Miolo Mole, transmitido no dia 26 de julho nos canais dos Doutores da Alegria do Facebook e Youtube, além da ClaroTV, por meio de parceria, para um público estimado de 1 milhão de pessoas, com alcance nacional e internacional. Voltado para toda família e fortalecimento das relações em meio à crise de saúde pública, o festival - originalmente criado como um evento presencial - contou com shows de Toquinho, Beatles Para Crianças, Palavra Cantada e dos próprios "besteirologistas".

Em agosto de 2020, outro projeto presencial migrou para o ambiente online: o Doutores Conta Causos, reunião de atores do elenco de São Paulo e do Recife para relatar suas experiências. Já as lives Doutores Ao Vivo e Consultório Besteirológico recriaram nas redes a dinâmica da atuação das duplas de palhaços, base do programa de visitas presenciais nos hospitais.

Por fim, em dezembro, os palhaços da unidade Recife lançaram, em formato websérie, o Auto de Natal. A história do tradicional espetáculo, apresentado há dez anos nos hospitais e no teatro, precisou de algumas adaptações, mas ganhou outros públicos com a internet. Cumprindo os protocolos de segurança, cada ator gravou sua participação individualmente no estúdio montado na casa de um dos artistas. As cenas de interação foram resolvidas graças à “mágica” da edição.

Por fim, em dezembro, os palhaços da unidade Recife lançaram, em formato websérie, o Auto de Natal. A história do tradicional espetáculo, apresentado há dez anos nos hospitais e no teatro, precisou de algumas adaptações, mas ganhou outros públicos com a internet. Cumprindo os protocolos de segurança, cada ator gravou sua participação individualmente no estúdio montado na casa de um dos artistas. As cenas de interação foram resolvidas graças à “mágica” da edição.

Mantida por doações de pessoas físicas e jurídicas, tanto por recursos próprios quanto advindos por meio das leis de incentivo fiscal, os Doutores da Alegria sempre trabalharam gratuitamente para os hospitais. Neste momento, prestes a completar 30 anos de trajetória pioneira no país, a associação também se posiciona de forma a evitar uma virtual paralisação das políticas públicas nas áreas de saúde e cultura.

“Apesar do doloroso impacto sofrido pelo setor cultural e do sentimento de consternação que acomete o país, os Doutores avaliam que neste período têm atuado com coragem e dignidade, disposta a cumprir a tarefa institucional que rege a organização”, diz o
diretor-presidente da associação, Luis Vieira da Rocha.

Os recursos das contribuições - em todas as modalidades citadas - permitem a continuidade e a expansão das atividades e da estrutura da organização, a realização deatividades de formação, oficinas e o aprimoramento técnico dos artistas, todos com formação profissional. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco