Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

MEIO AMBIENTE

Esgoto sanitário e falta de oxigênio causam morte de peixes no Canal do Fragoso, em Olinda

Publicado em: 25/03/2021 13:34 | Atualizado em: 25/03/2021 18:55

 (CPRH/Divulgação)
CPRH/Divulgação
A poluição causada pelo despejo de esgoto sanitário e o crescimento da planta aquática conhecida como Baronesa ocasionaram a morte dos peixes de tipo tilápia no Canal do Fragoso, em Olinda, no começo deste mês. De acordo com Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH), a presença das plantas desequilibrou o ecossistema local, ocasionando a mortandade dos peixes que viviam no canal.

“Conforme resultados obtidos nas análises realizadas, pode-se concluir que a poluição causada pelo despejo de esgoto sanitário contribui para o crescimento de baronesas no local, desequilibrando o ambiente e gerando impactos sobre os peixes que habitam o canal”, explicou o Diretor de Controle de Fontes Poluidoras do CPRH, Eduardo Elvino Sales de Lima.

De acordo com a nota técnica com os resultados das análises, as baronesas estavam distribuídas numa extensão de aproximadamente 1 km. O estudo indicou que havia uma densidade elevada de coliformes, que são indicadores de poluição por esgoto sanitário.

“Aliados a estes fatores também estão a calha baixa do rio e a ausência de chuvas à época do evento, o que não permitiu uma renovação das águas no local e consequente oxigenação”, explicou Eduardo. Segundo o estudo houve uma diminuição da concentração de oxigênio dissolvido (OD) na água.

Entenda o caso
O excesso de tilápias mortas, chamou a atenção de quem passava pelas imediações do Canal do Fragoso, em Olinda. Os animais mortos começaram a aparecer no começo do mês de março. A Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH), esteve no local e realizou uma vistoria para investigar a causa das mortes dos animais e coletou amostras da água do canal.

No canal, algumas pessoas tentavam pescar os peixes que buscavam oxigênio na superfície. A agência também enviou uma notificação à Prefeitura de Olinda sobre a limpeza do canal, devido à quantidade de baronesas, planta aquática que suga os resíduos de poluição.

Na época, a CPRH ressaltou que o consumo dos peixes que aparecem mortos não é recomendável, podendo ser um risco para a saúde das pessoas.

"As baronesas que aparecem na superfície do Canal do Fragoso são um bioindicador de lançamento de esgoto sem tratamento em corpos de água. Quando essa vegetação cobre a superfície da água, impede a entrada da luz solar comprometendo a realização da fotossíntese, provocando baixa oxigenação da água e situações como as que identificamos na vistoria", disse o gerente da CPRH, Rodolfo Aureliano.
TAGS: olinda | em | fragoso, | do | canal | no | peixes | de | morte | causam | oxigênio | de | falta | e | sanitário | esgoto |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco