Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

RECIFE

Veleiro interceptado com 2,2 toneladas de cocaína deu volta ao mundo

Publicado em: 16/02/2021 17:09

Dupla ficou à bordo da embarcação por cerca de quatro anos, entre 2012 e 2016, antes de vendê-la em março do ano passado  (Foto: Reprodução/Instagram)
Dupla ficou à bordo da embarcação por cerca de quatro anos, entre 2012 e 2016, antes de vendê-la em março do ano passado (Foto: Reprodução/Instagram)
O veleiro Guruca Cat, interceptado com 2,2 toneladas de cocaína na costa de Recife na segunda-feira (15/2), já teve seus dias de glória. É que a embarcação foi construída pelo casal de velejadores Guta Favarato e Fausto Pignaton para dar a volta ao mundo entre 2012 e 2016. A dupla passou por mais de 30 países antes da venda da embarcação, no ano passado.

Pelas redes sociais, eles lamentaram que essa tenha sido a destinação do Guruca Cat. “Um triste episodio para um veleiro querido por tantos brasileiros que acompanharam sua construção e aventuras”, escreveram na legenda de uma foto do barco no Instagram. E ainda fizeram um apelo: “Que as autoridades o leiloem o quanto antes para que os novos donos o tratem como ele merece”.
Na mesma conta, os dois haviam anunciado que pretendiam vender o veleiro em dezembro de 2019. A ideia era construir uma nova embarcação para outras viagens. Eles postaram também o anúncio de que a venda fora concretizada em março de 2020. “Foram três anos e três meses de construção até o catamarã se materializar. Passaram por vários sentimentos: entusiasmo, alegrias, angústias, decepções e muito cansaço durante a obra. Mas depois de tanto esforço e dedicação, todos podiam ver o que somente uma pessoa conseguia”, relataram à época.
Tráfico internacional
O que se passou desde a última aventura em família até a interceptação em uma ação de combate ao tráfico internacional de drogas ainda é um mistério que as autoridades brasileiras precisam descobrir. Tudo o que se sabe até agora é que a embarcação foi capturada a 270 km da costa de Recife com 2,2 toneladas de cocaína a bordo.

A apreensão foi fruto de cooperação internacional inédita realizada pela Polícia Federal, Marinha do Brasil e agências de segurança de outros três países: Portugal, Estados Unidos e Inglaterra. Suspeita-se que a droga seria enviada à Europa. Cinco tripulantes foram presos e aguardam audiência de custódia na sede da PF em Pernambuco. Todos eram brasileiros.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
PIB brasileiro tem queda expressiva de 4,1%
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 03/03
Secretários estaduais de Saúde pedem mais rigor nas medidas de restrição contra Covid-19
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 02/03
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco