Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

CORONAVÍRUS

UFPE já produziu mais de 20 mil protetores faciais em 3D

Publicado em: 04/02/2021 19:36

 (Foto: UFPE/Divulgação)
Foto: UFPE/Divulgação
Desde o início da pandemia, os laboratórios da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com sede no Recife, já produziram 20,7 mil protetores faciais. Utilizando a tecnologia de terceira dimensão, as peças do tipo Face Shield vêm sendo destinadas a profissionais de saúde do estado, além de servidores da instituição de ensino. Segundo a direção, a próxima fase deve ampliar a produção, contando com divisórias de acrílico e outras soluções de biossegurança para o enfrentamento da crise gerada pela pandemia.

De acordo com a universidade, os protetores faciais são doados a hospitais pernambucanos que atendem casos de Covid-19, inclusive o Hospital das Clínicas da UFPE. Os servidores que precisam atuar em atividades essenciais também podem receber os equipamentos de proteção, aumentado a segurança no ambiente de trabalho.

A produção dos escudos faciais acontece no Centro de Artes e Comunicação (CAC). O trabalho é desenvolvido pelos Laboratórios Grea3D (Grupo de Experimentação em Artefatos 3D), vinculado ao Departamento de Expressão Gráfica, e o LaCA² (Laboratório de Concepção e Análise de Artefatos Inteligentes), do Departamento de Design.

“A maioria das pessoas protegidas com os escudos trabalham na linha de frente, nos levando a entender que esse trabalho impactou na diminuição do contágio deste vírus”, explica o professor Sadi Seabra. “O impacto é grande no sentido de salvar vidas, porque uma vida salva não tem preço”, afirma o também professor, Walter Correia.

SEGUNDA FASE
Segundo a UFPE, o projeto passará a se chamar FabriCAC e continuará com a produção de face shields e  outros produtos a serem utilizados no enfrentamento da pandemia, no contexto da retomada das atividades híbridas da instituição. Entre as peças, estão escudos de acrílico instalados em locais de atendimento ao público. Também está em estudo o espaçador de máscara, que poderá ser usado por estudantes de Música/Canto durante as aulas práticas. Com ele, o aluno poderá manter a máscara em uso sem que ela atrapalhe a performance de canto.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro diz não ter briga com a Petrobras
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 24/02
Atividades econômicas proibidas em 63 municípios do Agreste e Sertão
Brasil aprova uso definitivo da vacina da Pfizer, mas imunizante ainda não está disponível
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco