Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Carnaval 2021

Sem carnaval, confetes e serpentinas deram lugar a um sentimento: saudade

Publicado em: 13/02/2021 15:56 | Atualizado em: 13/02/2021 16:25

 (Foto: Paulo Paiva/DP )
Foto: Paulo Paiva/DP

Se o nome de um bloco pudesse definir o sentimento dos pernambucanos, este bloco seria o da Saudade.Em 2021 o frevo não vai madrugar no bairro de São José e nem em Olinda, na Praça do Jacaré. O jeito será guardar no peito a dor de não cantar nas ruas e relembrar os bons momentos vividos no ano passado. A esta altura, o Galo da Madrugada já era o senhor do Centro do Recife e os blocos líricos entoariam seus hinos repletos de emoção.

Com a pandemia da Covid-19 e o aumento no número de casos em Pernambuco, o Governo do Estado suspendeu a Festa de Momo. Esta será a primeira vez que não haverá aglomerações, confetes e serpentinas. A data terá outra simbologia. Esse será o primeiro ano em que os blocos tradicionais não colocarão os estandartes nas ruas e ladeiras. É o caso do Homem da Meia-Noite, Ceroula, Nóis Sofre Mas Nóis Goza, Eu Acho É Pouco, Enquanto Isso Na Sala da Justiça, e tantos outros. Em 47 anos também será a primeira vez que o Bloco da Saudade não desfilará nas cidades do Recife e Olinda.
 (Presidente do Bloco da Saudade, Izabel Bezerra, se prepara para passar o carnaval em casa. Foto: Paulo Paiva/DP Foto )
Presidente do Bloco da Saudade, Izabel Bezerra, se prepara para passar o carnaval em casa. Foto: Paulo Paiva/DP Foto

"Eu desfilo pelo bloco desde 1977. Só não participei em dois anos: 1979, porque estava grávida, e este ano por conta da pandemia. Foi uma expectativa muito grande porque a gente não sabia como iria transcorrer este período. Ficamos aguardando, mas infelizmente o festejo não pode acontecer. Eu espero que essa vacina chegue logo em todos, e que a gente se livre desse vírus para poder brincar o carnaval de 2022", contou Izabel Bezerra, presidente do Bloco da Saudade.

Este ano, o consolo para os foliões virá através de shows com transmissões pela internet. Será o caso do Galo da Madrugada, do Homem da Meia-Noite, do Bloco da Saudade, por exemplo.

"Fizemos uma live, no dia 5 de fevereiro, com todos os requisitos de precaução contra a pandemia e foi um consolo para quem faz, participa e ama o Bloco. Foi a nossa primeira transmissão online que está disponível no nosso canal no YouTube. Tivemos que criar um canal nas redes sociais e deu certo. Escolhemos um repertório em que o povo estava ansioso para ouvir, com músicas clássicas de prévias de blocos. Contamos com a participação do maestro Bozó, que fez os arranjos das músicas, e uma parte do coral que decidiu participar. Uma outra parte ficou com receio da pandemia. Foi uma dádiva para o Bloco da Saudade porque pudemos contribuir com alegria, em uma época que o povo está precisando tanto de músicas que falem de amor, de saudade, de alegria", explicou Izabel.
 (Em casa, Izabel e seu marido, Amilcar Bezerra, assistem a live do Bloco da Saudade. Foto: Paulo Paiva/DP )
Em casa, Izabel e seu marido, Amilcar Bezerra, assistem a live do Bloco da Saudade. Foto: Paulo Paiva/DP

A sensação melancólica emenda naqueles que passarem pela Ponte Duarte Coelho. Sem a beleza da escultura do Galo da Madrugada só nos resta esperar pelo melhor no ano seguinte. À noite, no sábado de Zé Pereira, o calunga mais elegante de Pernambuco não arrastará multidões, mas estará com o seu inconfundível fraque realizando um desfile via internet. A agremiação fará uma live a partir das 23h, através das redes sociais, e contará com a participação de sua tradicional orquestra. No ano que vem, a celebração do Homem da Meia-Noite será grandiosa, quando completará 90 anos.
 (Em 47 anos, este será o primeiro ano que o Bloco não desfilará pelas ruas do Recife e Olinda. Foto: Paulo Paiva/DP )
Em 47 anos, este será o primeiro ano que o Bloco não desfilará pelas ruas do Recife e Olinda. Foto: Paulo Paiva/DP

Nos próximos quatro dias não escutaremos o som dos tambores do Maracatu, que, assim como o frevo, serão representados com lives.

"A gente jamais imaginava que não teria carnaval por causa de uma pandemia. No ano passado pensávamos que isso seria uma realidade distante, todos os planos foram por água abaixo. No entanto, precisamos respeitar as medidas que o governo decidiu. Acho que a gente tem que respeitar, não brincar com a realidade e acreditar que vamos sair desta situação porque ano que vem teremos um belíssimo carnaval. Este ano teremos uma live na terça-feira, através do nosso canal no YouTube, que terá início às 18h", desabafa Chacon Viana, Mestre de Cerimônia do Maracatu Porto Rico.  
 
Em um ano que ouvimos dizer que o mundo iria acabar, é necessário aguardar com sabedoria a pandemia passar. É tempo de empurrar o sofá, colocar a fantasia e cair no frevo. Em 2022, estaremos prontos para ver uma multidão repleta de alegria, frevo no pé e canções entoadas na ponta da língua. 2021 ficará na lembrança.

"Tenham esperança, curtam o carnaval em casa, temos as lives aí para brincar. Coloquem fantasias, façam seu carnaval seguro e em 2022, se Deus quiser, estaremos nas ruas. Será um carnaval maravilhoso, com explosão de amor e liberdade", garante Izabel Bezerra.  
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Doença da urina preta: síndrome rara pode levar à UTI
Resumo da semana: toque de recolher em PE, suspeitas de síndrome rara  e vacina aprovada
Atividades não essenciais proibidas em Pernambuco todo das 22h às 5h
Unicap inova em plena pandemia e transforma centros acadêmicos em escolas
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco