Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Meio Ambiente

Parque de Dois Irmãos quer unir casal de porcos-do-mato Pepa e Faísca

Publicado em: 05/02/2021 08:10

 (Foto: Lu Rocha/ Semas-PE)
Foto: Lu Rocha/ Semas-PE
O Parque Estadual de Dois Irmãos quer aproximar dois Catetos (porcos-do-mato), carinhosamente conhecidos por Pepa e Faísca. Pepa é uma moradora recém-chegada ao Parque e a intenção é que passe a conviver no mesmo ambiente que o outro animal. O objetivo da junção, segundo o equipamento ambiental, é formar um bando ou até mesmo um casal para fins de reprodução. Ainda de acordo com o Parque, esses mamíferos da espécie Pecari tajacu sofrem com a redução populacional devido à pressão de caça, à perda de qualidade de habitat e à fragmentação de matas. A reprodução em cativeiro é uma iniciativa de conservação da espécie, caso seja necessário repovoar áreas verdes.

A simpática porco-do-mato Pepa foi resgatada pela equipe do Centro de Triagem de Animais Silvestres da Agência CPRH, no Sertão do estado. Após passar por um processo de reabilitação, foram realizadas tentativas de reintrodução na natureza. Mas, ela não conseguiu acompanhar o bando da sua espécie e retornou para a fazenda onde havia sido solta.

Segundo o Parque Estadual de Dois Irmãos, em decorrência da dificuldade de reintrodução e por questões de segurança, o animal foi transferido do Cetas aos cuidados do equipamento. Pepa também precisou passar por um bom checkup médico. O Parque informou que a bateria de exames atestou que a porquinha do mato está com a saúde perfeita e pode se candidatar como companheira de Faísca.
 
"Vamos ter a certeza de que Pepa estava bem de saúde para iniciarmos os trabalhos de aproximação com o macho que já abrigávamos aqui. Temos o compromisso com a saúde e o bem-estar de cada indivíduo. A boa notícia é que os dois estão 100% saudáveis", esclareceu o médico veterinário e gerente técnico de fauna do equipamento ambiental, Márcio Silva.

Agora, o romance entre Pepa e Faísca deve acontecer aos poucos, com o cuidado e acompanhamento de biólogos, veterinários e tratadores.

De acordo com o Parque, foi colhido um pouco de secreção da glândula dorsal da fêmea com um tecido. Ali, fica armazenado o cheiro característico dela. Esse paninho com o cheiro da fêmea é colocado no recinto do macho. Depois, leva-se um tecido com o cheiro de Faísca para Pepa conhecer. O objetivo é proporcionar o interesse entre os animais, mesmo que cada um esteja em seu recinto.

Ainda de acordo com o gerente de fauna, somente após a fase de conquista, e se Faísca e Pepa se derem bem, será programada a soltura dos dois animais ao mesmo tempo. 
 
 

 
  

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
PIB brasileiro tem queda expressiva de 4,1%
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 03/03
Secretários estaduais de Saúde pedem mais rigor nas medidas de restrição contra Covid-19
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 02/03
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco