Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

NASCIMENTO

Primeiro bebê de 2021 nasceu na Maternidade Barros Lima, na Zona Norte

Publicado em: 01/01/2021 09:30

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
O primeiro bebê a nascer em 2021, nas maternidades da Prefeitura do Recife, chegou ao mundo logo após a virada, aos dois primeiros minutos do novo ano. O nascimento aconteceu na Maternidade Barros Lima, localizada em Casa Amarela, na Zona Norte. A unidade, ligada à Secretaria Municipal de Saúde, realiza cerca de 300 partos de risco habitual por mês, dos quais mais de 30% das pacientes são de outras cidades.

A criança, que se chama Anna Lívia, nasceu pesando 3.135kg e com 47,5cm, de parto natural, no Centro de Parto Normal (CPN) da Barros Lima. Agora, é a filha caçula de Lucineia Justino da Silva, de 32 anos, e Welson, que moram no Sítio Timburana, na cidade de Inajá, no Sertão, onde a mãe realizou as consultas de pré-natal para se preparar para o nascimento da bebê. Lucineia e a filha estão bem e devem receber alta amanhã.

Atualmente, são realizados mais de 1.200 partos (de baixo risco) mensais nas três maternidades (Arnaldo Marques, no Ibura; Bandeira Filho, em Afogados; e Barros Lima, em Casa Amarela) geridas pela Prefeitura do Recife, além do Hospital da Mulher do Recife (HMR), no Curado. Mais de 70% deles são partos normais. Do total de partos, cerca de 35% são de pessoas vindas de outros municípios. No Hospital da Mulher também são realizados partos de alto risco.

Centro de parto normal

No último mês de agosto, a Prefeitura do Recife inaugurou a requalificação da Maternidade Barros Lima, que ganhou o Centro de Parto Normal. O objetivo desse espaço é de dar às gestantes comodidade e privacidade em um local acolhedor e ao mesmo tempo seguro para a mãe e o bebê, onde o protagonismo, a autonomia e a privacidade da mulher são respeitados.

As gestantes que forem parir na Barros Lima contam com seis suítes individuais no CPN, onde são priorizados métodos naturais para alívio da dor. Em uma das suítes, há uma banheira para realização do parto na água. Também há uma área de convivência onde as mulheres contarão com bola, banqueta, cavalinho e barra para alongamento. O Centro de Parto Normal foi erguido em áreas onde funcionavam as enfermarias coletivas, num espaço físico fora do centro cirúrgico. As maternidades Arnaldo Marques e Bandeira Filho também estão passando por requalificação para ganhar seus CPNs.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 25/01
Enem 2020: professores do Colégio Núcleo comentam ao vivo as provas deste domingo
Verão inspira cuidados com a saúde e alimentação
Resumo da semana: enfim, a vacina, posse de Biden e cerco contra os fura-filas
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco