Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Pandemia

Estado poderá comprar vacinas para Covid direto de laboratórios

Publicado em: 06/01/2021 18:52

Longo Destacou que estado confia na eficiência do programa nacional. Foto: heudes Régis/SEI
O governo do estado tentará adquirir vacinas contra a Covid diretamente de laboratórios, caso o quantitativo disponibilizado pelo Programa Nacional de Imunizações não seja suficiente para toda a população de Pernambuco. A informação foi revelada pelo secretário estadual de Saúde, André Longo, um dia depois que o prefeito do Recife, João Campos, revelou que o município buscará vacinas por conta própria.

"Pernambuco entende e aposta que o programa nacional vai fornecer as vacinas necessárias para toda a popuação brasileira. Se a quantidade adequada não vier, é possível que haja iniciativa de complementação ou aceleração no número de vacinas disponiveis. Através do Conselho de Secretários de Saúde, temos nos mobilizados para conversas com laboratórios, visando complementação", disse Longo.

"É muito complicado se disponibilizar vacina para entes subnacionais, enquanto o PNI não definir o esquema de vacinação. Gestores responsáveis, como o prefeito João Campos, estão buscando alternativas, na medida em que não se tem cronograma. O estado também busca, acreditando que o PNI vai assumir a compra de forma igualitária, rspeitando os mais vulneráveis", destacou.

O secretário informou que quase 90% das vítimas fatais da Covid-19 são idosos ou pessoas com mais de 50 anos que sofrem de comorbidades e que a vacinação terá que priorizar esse público. "Precisamos ter um agente nacional que faça a coordenação do processo", opinou.

SERINGAS
O secretário disse que o estado de Pernambuco usa cerca de 200 mil seringas e agulhas por mês em sua rotina de vacinações, mas que já tem 3,9 milhões de unidades em estoque para a vacinação de Covid-19, e vai receber 2,8 milhões já adquiridas. "Serão 6,6 milhões de seringas ao fim de janeiro, no total, para vacinar todo o público prioritário nos primeiros três ou quutro meses, algo em torno de 2,8 mihões de pernambucanos. Serao usadas 5,6 milhões de seringas e agulhas, somando as duas doses", explicou Longo. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 21/01
Variante britânica do coronavírus continua a se espalhar pelo mundo
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão - Genética do sangue
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 20/01
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco