Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

FINANCEIRO

Beneficiários do Programa Atitude recebem capacitações nas ruas sobre planejamento financeiro

Publicado em: 12/01/2021 20:58

 (Foto: Marina Paiva/ Divulgação)
Foto: Marina Paiva/ Divulgação

O uso planejado do dinheiro, muitas vezes, é lembrado apenas para aqueles que ganham mais ou têm um rendimento constante. De fato, independentemente do valor e da frequência, o planejamento financeiro é necessário no controle sobre os gastos. Vale para quem ganha muito, vale para quem ganha pouco e vale, também, para os informais que ganham muito pouco e de forma irregular. O planejamento financeiro é mais um conhecimento que o Programa Atitude oferece para que os usuários de crack e outras drogas administrem melhor a própria vida.
 
O Programa Atitude é vinculado à Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas. O secretário Cloves Benevides considera a autonomia financeira uma conquista para qualquer trabalhador, independentemente da atividade. “A educação financeira é parte de uma etapa importante, que é a reinserção socioprodutiva”, argumenta.

Depois de dois encontros em parque público, um grupo de quatro usuários do Programa Atitude está avançando em planejamento financeiro. O perfil predominante no Atitude é de trabalhadores e vendedores informais, gente simples que guarda carro ou vende nos semáforos. A capacitação ensina informações básicas, como o total de dinheiro recebido, o quanto é gasto e as estratégias para despesas como um aluguel ou uma prestação de compra de eletrodomésticos ou móveis. 

Etapas

A assistente social Márcia Cristina Silva, técnica do Atitude, é a responsável pelos primeiros passos do planejamento financeiro. A capacitação é importante para esse grupo, porque todos são candidatos ao Atitude Moradia, último serviço do programa. O Atitude Moradia é um aluguel social para os usuários que avançaram no programa e se enquadram naqueles que podem ter acesso ao aluguel social. Para estes usuários, os ensinamentos vão ajudá-los a prever como vão pagar o próprio aluguel, como se manter, depois de concluído os seis meses do Atitude Moradia.

O Atitude é o programa de proteção e cuidados para usuários de crack e outras drogas, que estejam sob ameaça. O programa tem quatro serviços. O primeiro é o de busca ativa: o Atitude nas Ruas faz abordagens e contato com usuários em locais públicos. Os interessados na proposta são encaminhados ao Atitude Apoio, que é uma espécie de casa de passagem, onde é possível tomar banho, fazer uma refeição, dormir em uma cama. 

Quando se ingressa no programa, é feito um Plano Individual de Acompanhamento (PIA), momento no qual os problemas dos usuários são identificados, através de suas necessidades e situações particulares. Os técnicos começam a apoiar o cidadão a vencer etapas, como orientações para emissão de documentos, o contato com o SUS (Sistema Único de Saúde) e SUAS (Sistema Único de Assistência Social), aproximação com a família e outros. Quem avança é encaminhado para o Atitude Intensivo, onde passa a morar com outras pessoas, tem acompanhamento psicológico e prepara-se para a última etapa. Aqueles que superam essa fase, se tornam candidatos ao Atitude Moradia.

O grupo que faz planejamento financeiro é candidato ao Atitude Moradia. Eles vão morar, por seis meses, com o aluguel custeado pelo programa. Recebem uma ajuda em forma de cesta básica e uma moradia com o básico em termos de móveis e eletrodomésticos. Quando o período de seis meses for concluído, pode ocorrer uma única renovação ou o usuário conclui o programa. Ao vencer as etapas, o usuário terá de devolver os móveis e eletrodomésticos e montar sua casa. É por isso que o planejamento financeiro é tão importante no momento anterior ao Atitude Moradia.

Os usuários nem sempre são identificados, por uma questão de privacidade e proteção. Um dos jovens, conta Márcia Cristina, tinha como atividade guardar e vigiar carros estacionados. Desconhecia quanto ganhava por mês. Depois das noções básicas de planejamento financeiro, ficou impressionado. Como recebia R$ 86,00 por dia, descobriu que fazia R$ 1.800,00 ao mês. “Os usuários ingressam no programa com muitas dificuldades. Uma destas dificuldades é não ter noção do dinheiro que ganham. O planejamento financeiro básico ajuda neste sentido”, explica Márcia Cristina.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Mundo tem recorde de mortes por Covid-19 em 24 horas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 27/01
AstraZeneca defende eficácia em idosos depois de questionamentos
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 26/01
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco