Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Com UPE e Lacen

Estudo da Fiocruz traça panorama clínico e epidemiológico da Covid-19

Publicado em: 02/10/2020 15:35

 (Foto: Danny Lawson/AFP)
Foto: Danny Lawson/AFP

Um estudo realizado em cooperação entre a Fiocruz Pernambuco, o Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen/SES-PE) e a Universidade de Pernambuco Campus Serra Talhada (UPE-ST) descreve, de forma pioneira, as características clínicas e epidemiológicas dos primeiros 557 pacientes do estado que contraíram o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Segundo a pesquisa, entre os sintomas apresentados pelos pacientes de Covid-19, o mais comum foi tosse (74%), seguido de febre (67%), dispneia, ou seja, falta de ar (56%), dor de garganta (28%) e saturação de oxigênio abaixo de 95% (24%). Entre os casos letais, 86% dos pacientes tinham mais de 51 anos, e que o tempo médio desde o início da doença até o diagnóstico foi de quatro dias, com variação de 0 a 39 dias. Pacientes graves diagnosticados após 14 dias do início dos sintomas apresentaram carga viral mais alta do que pacientes com doença leve. O estudo apontou, também, que a idade dos pacientes infectados variou de 27 dias a 97 anos, uma média de 47 anos. 

“Através da análise geoespacial, usada para identificar a população mais acometida pelo vírus durante os primeiros casos de Covid-19 em Pernambuco, será possível direcionar políticas de prevenção e controle, bem como o fortalecimento de programas que visem o rastreamento de indivíduos que viajaram para diferentes locais do mundo e retornaram ao Brasil sem passar por quarentena e testes de triagem. Isso é fundamental para impedir que doenças infeciosas que não são endêmicas em nosso país sejam introduzidas e causem epidemias em larga escala”, explica o professor da UPE campus Serra Talhada e biomédico do Lacen PE, Jurandy Magalhães, um dos principais autores do estudo. 

Renda 

Dos nove bairros com maior densidade de casos, oito são da zona norte do Recife (Casa Amarela, Parnamirim, Rosarinho, Encruzilhada, Espinheiro, Graças, Torre e Madalena) e um da zona sul (Boa Viagem). Em relação à distribuição dos casos de Covid-19 nas diferentes faixas de renda domiciliar, dos nove bairros destacados, sete possuíam domicílios com renda superior a 10 salários mínimos, o que, segundo o estudo, demonstra que os primeiros casos da doença em Pernambuco foram ligados à população de alta renda. 


“Nosso estudo contribui para a literatura científica mundial ao caracterizar a Covid-19 nos trópicos e ajudará médicos e profissionais da saúde a enfrentar a atual pandemia, visto que o SARS-CoV-2 continua a se espalhar na população humana”, explica o pesquisador da Fiocruz PE e coordenador da pesquisa, Lindomar Pena. 

O artigo tem como autores principais o professor da UPE Serra Talhada e doutorando Jurandy Magalhães e a mestranda Renata Mendes, ambos ligados ao Programa de Pós-graduação em Biociências e Biotecnologia em Saúde (BBS) da Fiocruz PE. Jurandy é também servidor do Lacen PE, laboratório de referência em saúde pública do Estado onde foram feitos os diagnósticos moleculares utilizados na pesquisa.

A Fiocruz PE foi responsável pela concepção do estudo, coordenação dos trabalhos e pela análise dos dados obtidos. O estudo foi publicado na última terça-feira (29) na revista internacional Travel Medicine and Infectious Disease.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista Celso Muniz (MDB)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #181 - Tiops de rins dos vertebrados
Rhaldney Santos entrevista Dr. Felipe Dubourcq, urologista
Polícia Federal vai usar drones para fiscalizar irregularidades nas eleições
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco