Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Covid-19

Mulher é presa por envolvimento no assassinato de grávida em Rio Doce

Publicado em: 21/05/2020 11:42

Ana Irys foi assassinada em abril de 2018, em um mangue de Rio Doce, em Olinda. Corpo nunca foi encontrado. (Foto: Reprodução/Facebook.)
Ana Irys foi assassinada em abril de 2018, em um mangue de Rio Doce, em Olinda. Corpo nunca foi encontrado. (Foto: Reprodução/Facebook.)
Foi presa preventivamente, na manhã dessa quarta-feira (20), uma mulher de 27 anos, acusada de participar do assassinato da grávida Ana Irys Lopes de Sá Lima, ocorrido em abril de 2018, em Rio Doce, Olinda. A vítima foi atraída para a casa da suspeita presa, onde foi espancada, torturada e, posteriormente, executada a tiros em um mangue próximo. Segundo a Polícia Civil, o mandante do crime foi o companheiro de Ana, que mesmo preso comandava o tráfico no bairro.

A Polícia começou a investigar o caso em 11 de abril de 2018, data em que Ana Irys desapareceu. “A vítima era companheira do traficante e trabalhava como aviãozinho (de droga). Quando ficou grávida, começou a se recusar a fazer as entregas e passou a exigir dinheiro dele para poder montar o enxoval da criança. Ele não gostou e determinou que o grupo criminoso chefiado por ele executasse a mulher”, relembra o delegado Guilherme Caraciolo.

A investigação identificou 14 pessoas, integrantes do mesmo grupo criminoso, que participaram de forma direta ou indireta da execução. A emboscada se deu da seguinte forma: um homem ligou para a vítima, afirmando que o traficante tinha concordado em repassar dinheiro para ela.

Em seguida, a suspeita presa hoje, na companhia de outra mulher, atraiu Ana para sua casa. Lá dentro, foi espancada e torturada. Por fim, três homens levaram a grávida para um mangue, lhe deram tiros e enterraram o corpo, que nunca foi encontrado.

Em janeiro de 2020, foi deflagrada a operação Sweet River, para prender os 14 suspeitos. Em um primeiro momento, foram presas nove pessoas. Semana passada, um homem foi localizado e capturado. E nessa quarta a suspeita foi encontrada, escondida em Goiana, Mata Norte de Pernambuco. Restam foragidos outros três indivíduos.

Todos os 11 presos - incluindo a mulher capturada nessa quarta - foram indiciados por feminicídio, ocultação de cadáver, aborto, ameaça, associação para o tráfico e corrupção de menores. “O traficante chefe, que mandou executar a grávida, é um indivíduo perigoso. Está preso há mais de dez anos, mas continua comandando o tráfico em Rio Doce e San Martin”, explica Guilherme.

“Ele tem diversas condenações por homicídio, sequestro e tráfico, e vários dos crimes dele foram cometidos dentro da cadeia. Por isso, fizemos uma solicitação formal para transferi-lo a um presídio federal”, pontua o delegado.

A mulher de 27 anos presa nessa quarta foi encaminhada para a Colônia Penal do Bom Pastor, no Recife.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Polícia Federal caça responsáveis por tentativa de ataque ao sistema do TSE
Apesar de empate em pesquisas, João Campos confia em vitória
Marília Arraes tem agenda intensa no dia que decide a eleição no Recife
Votação define hoje o segundo turno das eleições municipais
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco