Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

novo coronavírus

Prefeitura anuncia 371 leitos de atendimento à Covid-19, sendo 78 com respiradores

Publicado em: 31/03/2020 09:08 | Atualizado em: 31/03/2020 12:56

No total, já foram anunciados 371 novos leitos no HMR e nas policlínicas, com 78 respiradores pulmonares.  (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR.
)
No total, já foram anunciados 371 novos leitos no HMR e nas policlínicas, com 78 respiradores pulmonares. (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR. )
A rede pública de saúde do Recife prepara 371 leitos hospitalares para receber pacientes da Covid-19. Desses, 78 estão equipados com respiradores pulmonares. Ao todo, 106 leitos já estão prontos no Hospital da Mulher do Recife (HMR), no bairro do Curado, Zona Oeste da capital, e na Policlínica Amaury Coutinho, localizada em Campina do Barreto, na Zona Norte da cidade. A ampliação do atendimento faz parte do Plano Municipal de Contingenciamento do Covid-19 e foi anunciada, nesta terça-feira (31), em coletiva de imprensa, realizada edifício-sede da prefeitura, no Recife Antigo.

O Hospital da Mulher do Recife (HMR) tem a maior capacidade de acolhimento e reservou uma ala para o atendimento exclusivo de pacientes com novo coronavírus. O HMR está sendo equipado com mais 31 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de 120 leitos de enfermaria que estão sendo montados na área externa. Outros 34 leitos de enfermaria já estão prontos. Ao todo, serão 208 leitos, sendo 54 de UTI e 154 de enfermaria, só nesse hospital.

Os pacientes infectados pelo novo coronavírus ficarão isolados das outras alas do HMR, que continua atendendo gestantes de alto risco. Os partos de risco habitual estão sendo encaminhados para as outras três maternidades administradas pela prefeitura: Arnaldo Marques (Ibura), Bandeira Filho (Afogados) e Barros Lima (Casa Amarela).

Ainda começaram a funcionar hoje 41 novos leitos na unidade provisória construída na Policlínica Amaury Coutinho, localizada em Campina do Barreto, na Zona Norte do Recife. A unidade passou por readequações para abrigar 11 novas vagas na enfermaria, duas salas de observação para pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), consultório médico e área para manejo e estabilização de pacientes críticos, para possível transferência para unidades de referência. Já na área externa, foi montada uma Unidade Provisória de Isolamento (UPI) com outros 30 leitos de enfermaria.

De acordo com o secretário municipal de saúde, Jailson Correia, a rotina de atendimentos das Policlínicas se adequou às mudanças exigidas pela pandemia. Os casos suspeitos de Síndrome Respiratória terão acesso por uma entrada exclusiva para triagem e ficarão em uma área isolada dos demais pacientes recebidos pela demanda habitual das Policlínicas.

"Vamos concentrar o atendimento das pessoas com suspeita de síndrome gripal. Ou seja, com sintomas como febre, tosse, que podem indicar tanto gripe, como Covid-19. Temos uma estrutura diferente da rotina da Policlínica, que tem uma outra porta de entrada, para atender essas pessoas. Ao chegar, o paciente irá passar por uma triagem para classificação de risco. Após isso, segue para o consultório médico, onde será feita a avaliação clínica. Esperamos que os casos leves sejam encaminhados para casa com todas orientações necessárias. E os casos que exijam internamento, terão leitos dedicados exclusivos", esclarece o secretário.

Outras policlínicas da cidade também estão em obras para receber as unidades provisórias. As vagas devem ser ampliadas ao longo do mês de abril nas Policlínicas Barros Lima, em Casa Amarela, que terá 42 novos leitos, Arnaldo Marques, no Ibura, com 38 novos leitos, Agamenon Magalhães, em Afogados, com 40, além do Hospital Pediátrico Helena Moura, com dois leitos. No total, foram anunciados 371 novos leitos no HMR e nas policlínicas, com 78 respiradores pulmonares. Desses, 106 leitos estão prontos no HMR e na Amaury Coutinho.

"Estamos completando vinte dias da decretação da Pandemia, pela Organização Mundial da Saúde. Desde o primeiro dia a gente tem realizado ações dentro do Plano de Contingência com o objetivo salvar vidas. Iniciamos imediatamente sete obras com o objetivo de criar leitos hospitalares exclusivos para os pacientes da Covid-19. A nossa escolha é salvar a maior quantidade de vidas e reduzir sofrimento que uma perda traz para uma família", comentou o prefeito Geraldo Júlio.

Quando aplicado, o produto biodegradável forma uma camada protetora que mantém o local livre do vírus e outros micro-organismos. (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR.)
Quando aplicado, o produto biodegradável forma uma camada protetora que mantém o local livre do vírus e outros micro-organismos. (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR.)

Sanitização
A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que vai desinfectar as policlínicas antes dos atendimentos. Será feito um processo de sanitização reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no enfrentamento ao novo coronavírus. O procedimento consiste na aplicação de um desinfetante com ação viricida de alto nível, cuja ação tem início em até cinco minutos e o efeito residual atua por 24 horas. A nova técnica é um complemento à higienização de cerca de 150 unidades de saúde da rede municipal. O método não substitui a limpeza que já é feita rotineiramente.

De acordo com o órgão, o Recife é a primeira capital do Nordeste a utilizar esse tipo de desinfecção química em locais públicos. A Vigilância Ambiental do Recife também levará a sanitização para outros locais com grande circulação de pessoas, como as principais avenidas da cidade, mercados públicos e terminais integrados de ônibus, já que o vírus pode permanecer por algumas horas em superfícies como metal, vidro ou plástico.

Quando aplicado, o produto biodegradável forma uma camada protetora que mantém o local livre do vírus e outros micro-organismos. Além disso, ele pode ser aplicado sem contraindicações, pois não afeta as pessoas que circulam nos ambientes. Adotada também por países como Espanha e China (na cidade de Wuhan), que também vêm enfrentando a pandemia da Covid-19, e por outras cidades brasileiras, a sanitização está sendo feita, no Recife, por mais de 160 profissionais, entre eles os Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces), com os devidos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). O cronograma das atividades é dividido em três turnos, de segunda a sexta-feira, e também nos fins de semana, em regime de plantão.

Total de leitos

No total, já foram anunciados 371 novos leitos no HMR e nas policlínicas, com 78 respiradores pulmonares. Desses, 106 leitos estão prontos no HMR e na Amaury Coutinho.

- Policlínica Amaury Coutinho (Campina do Barreto)

41 novos leitos em unidade provisória

- Hospital da Mulher do Recife (HMR)

31 Unidades de Terapia Intensiva (UTI)

208 leitos

- Policlínica Barros Lima (Casa Amarela)

42 novos leitos

- Policlínica Arnaldo Marques (Ibura)

38 novos leitos

- Policlínica Agamenon Magalhães (Afogados)

40 novos leitos

- Hospital Pediátrico Helena Moura (Tamarineira)

2 novos leitos
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Um ato por justiça e solidariedade
Resumo da semana: criança morre ao cair de prédio e reabertura pós-quarentena
05/06: Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Covid-19 põe indígenas amazônicos em grande risco
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco