Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Saúde

Núcleos de fisioterapia de Olinda atendem pacientes via WhatsApp

Publicado em: 27/03/2020 15:19 | Atualizado em: 27/03/2020 15:21

 (Foto: Prefeitura de Olinda/Divulgação)
Foto: Prefeitura de Olinda/Divulgação
As orientações das autoridades de saúde para a permanência das pessoas em casa por conta da pandemia do novo coronavírus fizeram os núcleos de fisioterapia da Secretaria de Saúde de Olinda mudarem a atuação para o modelo home office. Agora, os 80 atendimentos diários foram mantidos via rede social.

A coordenadora do projeto, Rosely Chaves, explica que as sessões agora são feitas através de ligações por telefone, WhatsApp (tanto chamadas em vídeos como grupos) e vídeos. "Temos pacientes com asma fazendo fisioterapia respiratória, com hérnia de disco, todos nesse tipo de tratamento", diz.

Olinda tem dois núcleos, nos bairros de Águas Compridas e Ouro Preto, cada um com dois fisioterapeutas mais o pessoal do administrativo. "Continuamos com 20 atendimentos no período da manhã e mais 20 à tarde em cada núcleo. Na semana, são 400 atendimentos", explica.

A equipe reúne-se semanalmente - por WhatsApp - quando os profissionais apresentam os relatórios, produzidos diariamente, para ajuste de tratamentos. Os núcleos de fisioterapia de Olinda trabalham com diversas formas de terapia, como osteopatia, RPG (Reeducação Postural Global), ventosaterapia (que se popularizou com o ex-nadador Michael Phelps) e auriculoterapia - uma parte da acupuntura, em que sementes de mostarda substituem as agulhas nos pontos de pressão.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Erupção de vulcão na ilha de Java deixou 34 mortos
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT/PE), Almir Mattias e Renata Berenguer
Laboratório anuncia teste para diferenciar o coronavírus da gripe A e B
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Grupo Diario de Pernambuco