Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Coronavírus

Médicos fazem campanha para arrecadar Equipamentos de Proteção Individual

Publicado em: 24/03/2020 13:56 | Atualizado em: 24/03/2020 14:04

 (Foto: Inês Campelo/arquivo DP)
Foto: Inês Campelo/arquivo DP
Médicos de hospitais considerados de referência para atendimento de pacientes com a Covid-19 em Pernambuco iniciaram campanhas de solidariedade nas redes sociais, principalmente via WhatsApp, para adquirir Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Os itens são necessários para os profissionais atuarem com menos risco junto aos doentes. 

Trabalhadores dos hospitais ligados à Universidade de Pernambuco (UPE) - Oswaldo Cruz (HUOC), o Procape e o Cisam - pedem qualquer quantia para compra de luvas de procedimento e estéreis, máscaras óculos de proteção, viseira, aventais impermeáveis, macacões, propés, toucas, espaçadores respiratórios e outros itens. Os valores podem ser depositados na conta 116629, agência 32344, em nome do Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco (Iaupe). Outra forma de doar é entregar equipamentos ao setor de almoxarifado do HUOC.

No site do Iaupe (http://www.iaupe.com.br/site-2017/index.php/noticias/177-coronavirus-acao-solidaria), o instituto ressalta que a UPE está produzindo álcool 70% para combater a propagação do vírus e pede à população a doação de depósitos de plásticos de 1 litro e 5 litros para auxiliar na distribuição. Quem quiser ajudar pode entrar em contato com a reitoria da UPE pelos telefones (081) 3183-3755 ou 3183-3756, a partir da segunda-feira, das 8h às 15h.

“Deixamos claro que a Secretaria Estadual de Saúde está em parceria com o HUOC, não estamos desassistidos. Mas, estamos correndo em paralelo porque como a demanda é crescente, não sabemos quanto tempo vão durar os equipamentos. Talvez os previstos não sejam suficientes. A campanha é para arrecadar para reserva. Não temos falta de EPI”, reforça a médica Adriana Azoubel. Ela define o sentimento entre os médicos entre um misto de ansiedade e disposição. 

“A classe médica está acostumada a enfrentar desafios. O medo que a população tem a gente também tem. A diferença é que temos também o medo de transmitir para as pessoas de casa ou mesmo de adoecer e sair da linha de frente. Mas estamos todos envolvidos e empenhados no sentido de fazer dar certo. No Huoc, a harmonia é grande no sentido de colaborar, mesmo que não estejamos no atendimento direto. A ajuda acontece com o suporte às equipes, por exemplo. Estamos todos unidos em prol do bem da população”, diz Adriana.

No Hospital das Clínicas, na Cidade Universitária, a médica Norma Arteiro confirma que os equipamentos existem, mas que há medo entre os profissionais de que faltem. “Não dá para ter ideia agora do número de pacientes que vamos atender.”

A médica fez outro apelo à população: que não compre máscaras. “Não faz sentido a população continuar comprando material médico. Isso chega a ser criminoso, porque falta para a gente. Por conta própria eu procurei equipamentos e não achei. A máscara N95, por exemplo, é usada pelo médico para entubar paciente. Vejo pessoas usando na fila da padaria quando isso é para salvar as equipes de saúde. Não é um problema do Recife. Falta em todo mundo porque é questão de limitação de produção”, destacou.

Norma disse, ainda, que, se mal usada, a máscara é risco para a população saudável. “Se eu boto a máscara e saio de casa sem usar direito, botando e tirando, deixando pendurada, você nem se protege e aumenta o risco de contaminar o outro. Porque se a gente pensa que a máscara é um filtro, ela estaria, então, cheia de vírus e não deveria ser manuseada”, explicou. A médica pede às pessoas que compraram em grande quantidade que devolvam os equipamentos aos hospitais.

Para doar no HC, é preciso gerar uma Guia de Recolhimento (GRU) e efetuar o pagamento. Para emitir a GRU, basta acessar o site: http://consulta.tesouro.fazenda.gov.br/gru_novosite/gru_simples.asp, preencher os campos os campos: unidade gestora: 155022, gestão: 26443 – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, nome da unidade: EBSERH HC-UFPE, código de recolhimento: 28918-3 - serviços hospitalares, número de referência: 23536006045202005, CNPJ ou CPF do doador(a) e valor da doação.

Em seguida, o doador preenche e assina o Termo de Doação disponível no link:
https://drive.google.com/file/d/18P2rIDMQTu7nzVxRV2ASJlxtxAr1RdEl/view?usp=sharing. O terceiro passo é enviar para hcdiretoria@ufpe.br uma cópia digitalizada dos seguintes documentos: Termo de Doação assinado, Guia de Recolhimento da União – GRU e Comprovante de Pagamento. Dúvidas podem ser esclarecidas pelos telefones: (81) 2126-3502 ou  (81) 2126-3507. 

Equipes do Hospital Correia Picanço também estão em campanha. As compras podem ser feitas online e o endereço de entrega é a farmácia hospitalar da unidade, na Rua Padre Roma, 149, na Tamarineira. O Conselho Regional de Medicina (Cremepe) também disponibilizou uma ferramenta para os diretores médicos possam informar sobre a disponibilidade dos EPIs.

No Imip, o atendimento é para gestantes com suspeitas da Covid-19, mas também para adultos com suspeitas. Lá, médicos também criaram uma conta bancária para receber doações. A agência é a 0286, a conta corrente: 209589 e o CNPJ é 12859468000115. O favorecido é a Fundação Alice Figueira de Apoio ao Imip. Na unidade, alguns médicos que atuam em setores fora da infectologia se queixaram da falta de EPIs. “Muitos pacientes que chegam até nós têm sintomas parecidos com os da Covid-19, mas não têm a doença. Até que a gente tenha a contraprova, já ficamos expostos”, disse uma médica, que pediu para não ser identificada, e que até esta segunda-feira estava trabalhando sem máscara.

Além do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) e Correia Picanço, no Recife, já estão habilitados leitos no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), também no Recife; e Hospital Mestre Vitalino (HMV), em Caruaru. Os hospitais Dom Hélder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, e das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Pernambuco também estão no planejamento para ativação de leitos para atendimento de casos da Covid-19 nos próximos dias. A partir da necessidade, essa rede será ampliada, seja com a contratação de leitos junto à rede privada, seja com novos leitos na rede própria. Atualmente, a rede estadual de saúde de Pernambuco conta com 1.018 vagas de UTI, entre leitos próprios e contratualizados junto à rede credenciada.

Em nota, o governo do estado informou que, na semana passada, cerca de 800 mil unidades de diversos insumos, como máscaras, luvas e álcool em gel, começaram a ser distribuídos para as unidades da rede estadual. “O governo de Pernambuco está em contato com fornecedores para reforçar os estoques e não descarta a realização de novas operações por meio de requisições administrativas - hipótese em que será garantido o pagamento posterior de indenização justa.”

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Unicap continua com as inscrições abertas para Vestibular 2022
Bruno Becker, da chapa Náutico Sustentável, divulga projetos para o Timbu
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Romero Sales Filho (PTB)
Grupo Diario de Pernambuco